Cadastro para o bolsa formação.

Prezado (a) aluno (a) Recebemos da equipe do Bolsa Formação a informação de que o cadastramento para o benefício da bolsa estará disponível a partir de amanhã, 5a feira, 22 de maio. A impressão para os novos cursos já está disponível. Há um link no rodapé do curso para a impressão. Abs. Admin.
 
Anúncios

ATENÇAO Nobres Amigos Policiais e Bombeiros do MT.

Artigo retirado do portal da ASSOADE.
 
 
 
No dia 15 de maio as Associações ACS, ASSOF, ASSOADE, ASMIP, ASBM, se reuniram para discutir a reposição salarial prometida pelo governo do Estado aos policiais e bombeiros militares que não foram contemplados em 2007, a reunião foi bastante proveitosa, pois, pela primeira vez todas as entidades representativas dos militares estiveram unidas em prol de um único objetivo: A MELHORIA DAS CONDIÇÕES SALARIAIS DOS MILITARES. Na oportunidade, ficou acordado que exigiremos do Governo do Estado o cumprimento da promessa feita anteriormente, ou seja, o mesmo índice dado aos oficiais superiores deverá ser também aplicado ao restante dos Policiais e Bombeiros das corporações. As entidades tabularam a seguinte proposta a ser apresentada em favor dos Policiais e Bombeiros:
 
 
 
Em 2008 10% mais o INPC
Em 2009 10% mais o INPC
Em 2010 10% mais o INPC

Temos consciência de que isso ainda não é o ideal para as categorias, uma vez que o Governo do Estado havia se comprometido a aplicar o valor total da recomposição em uma única parcela, ou seja, os 30% oferecidos de uma só vez.
A união das entidades representa para nós um grande avanço por isso estamos certos de que o nosso pleito será prontamente atendido pelo governo, para o benefício de todos os militares e da sociedade matogrossense.
Ressaltamos a participação e apoio dos Clubes de Policiais e Bombeiros de Barra do Garças, Cáceres, Rondonópolis e Alta Floresta.
Nobres colegas policiais e bombeiros, é preciso ampliar cada vez mais a nossa participação na busca dos nossos interesses, unindo forças na reivindicação de nossos direitos.

“Sem participação não há conquista”

 
 
 
Notícia Postada em 19/05/2008 por: Bruno Delanne P. Dourado

Bolsa Formação.

Prezado (a) aluno (a) Duas informações importantes: 1 – O acesso para o cadastramento dos alunos que se enquadram dentro dos requisitos do Bolsa Formação, isto é recebem até R$ 1.400,00 de proventos brutos, estará disponível a partir de 2a feira, dia 19/5, no endereço http://www.mj.gov.br/sisfor/ 2 – Também a impressão dos conteúdos dos novos cursos do EAD estará disponível a partir de 2a feira, 19/5. Esta primeira semana é dedicada à ambientação dos alunos. Abs. Admin.

VAMOS DISCUTIR E APROVAR O NOSSO ESTATUTO

ESTATUTO PROVISÓRIO DO DIREITO DA POLÍCIA DO BRASIL Nós, policiais, principalmente os civis, militares e agentes penitenciários, como também de outras categorias, precisamos nos unir com sabedoria junto com os nossos sindicatos e associações policiais de todo Brasil, e com políticos, que de fato defendam a nossa classe, para criarmos um projeto de LEI DE INICIATIVA POPULAR, que determine piso e teto salarial, imunidade, vitaliciedade, compra de casa própria, permuta de um Estado para o Outro, poderes especiais para combater terrorismo e assassinato contra policiais, compra de arma e outros benefícios para a nossa categoria. VEJA ABAIXO O PROJETO DE LEI DE INICIATIVA POPULAR QUE DEVEMOS DEFENDÊ-LO A TODO CUSTO: PISO E TETO SALARIAL – Criação imediata de um piso salarial de, no mínimo, 15 salários mínimos, e um teto salarial de, no mínimo, 30 salários mínimos, para todos Estados que ganhe abaixo disso, sendo que, o Estado que não poder pagar, o Governo Federal será obrigado ajudá-lo, caso não tenha condições, terá que criar um novo imposto federal, aumentar alguns deles,os Estados por sua vez farão o mesmo, e dessa forma conseguirão recursos para custear essa nova folha de pagamento; – Entre o piso e o teto salarial serão encaixados os policiais pôr tempo de serviço, pela sua patente, pôr curso superior e outros que qualifique o policial para ocupar uma posição nessa escala salarial; – O salário do policial será obrigatoriamente reajustado anualmente acima da inflação para não ficar defasado. Obs.: Não se assuste com o valor do piso e do teto salarial mencionados pensando que é muito dinheiro e a União não tem condições de ajudar os Estados a pagá-los. Quem pensa assim está enganado. Lembre-se que a CPMF arrecadava cerca de 40 bilhões. COMPRA DA CASA PRÓPRIA – Criar imediatamente uma linha de crédito federal para os policiais poder comprar a sua casa própria, com o menor juros possíveis, sem nenhum tipo de burocracia, para que possam ter dignidade a uma moradia decente. CARGO VITALÍCIO – O policial que praticar crime, de acordo com o tipo de crime, será afastado da sua função enquanto cumpri pena, sendo remunerado durante o período penal. Depois de cumprir a pena, o Estado terá que deixá-lo na ativa ou aposentá-lo. O “deixar” na ativa ou “aposentá-lo” será de acordo com o tipo de crime. Sendo este de estupro, tráfico de droga, homicídio mediante paga, furto, roubo e de outra natureza que denegride a imagem da polícia, o policial não voltará para ativa, porém, será aposentado de acordo com o que contribuiu. Agora, se o tipo de crime praticado foi em nome da sua honra ou da de sua família ou de outra natureza, que qualquer pessoa desequilibrada emocionalmente no momento da ação praticaria, esse policial, depois que cumprir a sua pena, o Estado terá que colocá-lo na ativa ou senão aposentá-lo com um salário igual como se tivesse na ativa; – O policial só poderá cumprir pena depois que a sentença transitar em julgado sem caber mais recurso, fora disso, poderá ficar afastado das suas funções enquanto aguarda a decisão final, isso de acordo com o crime; – Sendo condenado, a pena será cumprida em unidade penal destinada somente para policiais e outras categorias de funcionários públicos. Caso não tenha essas unidades penais, cumprirão pena domiciliar. TRASFERÊNCIA E PERMUTA – O policial poderá ser permutado de um Estado para Outro, caso encontre permuta; – Será também transferido de um Estado para Outro em caso de estar ameaçado pôr bandido de alta periculosidade; – Se dentre seus familiares residente na mesma casa existam também funcionário público, sendo municipal, estadual ou federal também será beneficiado pôr este artifício da Lei e assentado em um mesmo cargo com remuneração igual ou superior. EDUCAÇÃO E TREINAMENTO – Todos policiais na ativa que quiser fazer um curso superior, principalmente em Direito, o governo do seu Estado terá que bancá-lo, no mínimo, em 50%. Policial com curso superior, o Estado e a população só tem a ganhar; – Criação imediata de cursos de defesa pessoal, curso de tiro e de outros, que poderão ser feito também pela iniciativa privada, como também no exterior, que tenham qualificações, que venham a preparar melhor o policial para combater o crime, pois a maioria dos bandidos estão mais preparados, mais armados e mais protegidos pela Lei do que os policiais e os cidadãos. IMUNIDADE POLICIAL – O policial que tiver a sua residência invadida pôr bandido(s), não só ele como seus familiares, residentes na mesma casa, poderão revidar essa ação efetuando quantos tiros for necessários contra os invasores para conter essa invasão, pois não serão presos, não perderão o seu emprego, não terão o seu nome divulgado na imprensa, não precisarão livrar o flagrante e a arma usada só poderá ficar para a averiguação na Delegacia de Polícia se o policial receber outra, imediatamente; caso contrário, ficará com a arma que usou neste feito; – Em caso de assalto contra policial, este poderá revidar efetuando quantos tiros for necessário para evitar o assalto. Não importa se seja pelas costas ou não. Caso haja excesso de tiro, tratando-se de bandido, traficante de drogas ilícitas e de outras categorias de facínoras, o policial tonar-se-á inimputável perante a Lei. PODER ESPECIAL – Policial assassinado pôr bandido, o delegado de polícia da circunscrição do fato passará automaticamente até a conclusão do inquérito a ter poderes especiais de expedir mandado de busca e apreensão, entrar em qualquer residência suspeita, independente de horário, usar os meios necessários para obter informações para descobrir o autor do crime; – Em caso de terrorismo contra policial e seus familiares e as suas instituições, como aconteceu recentemente em São Paulo, os Delegados de polícias e os comandantes das polícias militares automaticamente passarão a ter poderes especiais acima de todos órgãos públicos: municipais, estaduais e federais para atuarem contra esse tipo de terror. Eles poderão usar os meios necessários de combatê-los, pedir auxílio das Forças Armadas, não responderão criminalmente pelos excessos que venham cometer em nome da sociedade e da integridade física e moral do Estado. Poderão invadir presídios, residências suspeitas e outros usando toda força necessária para mostrar aos bandidos terroristas que o Estado é mais poderoso do que eles. Obs.: Não é justo aquilo que aconteceu em São Paulo contra os policiais, onde a bandidagem de dentro dos presídios mandaram executar policiais, destruir as delegacias de polícias e outros órgãos públicos. Os políticos poucos fizeram contra essa ação criminosa para não perder o seu reduto eleitoral. Temos que zelar pela segurança Nacional e a integração física e moral do Estado acima de tudo e de toda canalhice pôr parte de muitos políticos. Somos defensor da Justiça e da ordem pública. ATENDIMENTO PREFERENCIAL – O policial e o seu familiar terá atendimento preferencial nas Delegacias de Polícias; – Caso sejam vítima, desde que comprovem, o delegado de polícia terá que intimar com toda urgência os seus imputados e agir com todo rigor da Lei contra os mesmos; – Nos crimes de menor potencial ofensivo contra o policial e seu familiar, residente na mesma casa, depois de provado, os imputados depois de condenados perderão os benefícios nos casos das Leis que permiti pagamentos de multas, retratações, detenções e cumprirão pena de reclusão integral, sendo libertado antes do tempo ou na mesma hora se sua vítima permitir através de negociações juntos aos advogados dos seus imputados; – O parágrafo acima será anulado se o fato ocorrer entre policiais e seus familiares; – Os termos circunstanciados de ocorrências serão encaminhados em caráter de urgência à justiça, onde o juiz terá que julgá-los com urgência; – Caso os imputados antes das audiências fiquem criando problema ou pondo em risco a vida do policial ou do seu familiar, residente na mesma casa, sendo isso provado, o Delegado de polícia terá que pedir a prisão dos imputados até o fim do julgamento, e o Juiz será obrigado a decretá-lo no prazo de 24 horas, caso o juiz não o faça, o delegado de polícia passará a ter poderes especiais de decretá-lo. PASSE LIVRE – O policial passará a ter passe livre em todas casas de diversões, orgãos públicos e outros; – Terá passe livre em todos os ônibus, sendo ele intermunicipal, interestadual e internacional dentro do território brasileiro; – Quem impedir a entrada do policial nos lugares supracitados, responderá criminalmente pôr desacato e outros crimes. O policial vítima desse tipo de abuso, ligará para central e esta enviará as viaturas mais próxima para prender o criminoso; – O uso do capacete em moto e o cinto de segurança em carro ficará a critério do policial usá-los ou não. Não poderão ser multado com relação a isso, pois sua função é perigosa e às vezes tem que estar preparado para agir, e nesse caso o cinto e o capacete pode lhe atrapalhar. REGISTRO E COMPRA DE ARMA DE FOGO – O registro de arma de fogo dos policiais e seus portes passarão ser feito pelos respectivos órgãos o qual ele faça parte, a quantidade de armas de fogo, calibre que o policial poderá portá-lo será definido pelo seu órgão que é lotado; – A compra de arma e de munição será autorizado pelo órgão que o policial está lotado sem nenhum tipo de burocracia; – O policial passará a ter direito de armar membro da sua família, residente na mesma casa, para proteger a sua residência de ataque de bandido enquanto ele tiver de serviço. Para isso, basta pedir autorização ao seu órgão e este analisará se a pessoa indicada pôr ele tem ou não condições de portar uma arma, se tiver, receberá um treinamento de curso de tiro e outros antes de usá-la. CONCLUSÃO: De acordo com o § 2º do Art. 61 da Constituição Federal de 1988, para a Iniciativa Popular poder ser exercida é necessário a assinatura de um por cento dos eleitores, ou seja, mais de um milhão de pessoas, distribuídas em, pelo menos, cinco estados brasileiros. Eu calculo que no Brasil existam em média entre policiais na ativa e aposentado mais de um milhão, juntando com os nossos familiares e amigos conseguiremos em média mais de dez milhões de assinatura para apresentar um projeto de Lei, na Câmara Federal, que de fato defenda a nossa classe, que hoje em dia está desmoralizada e desprotegida em todos os sentidos. E essa aprovação só conseguiremos através de muitas passeatas, paralisações e outros tipos de manifestações, que serão promovidas pelo os nossos sindicatos e associações de policiais de todo Brasil. Precisamos também criar uma “CENTRAL ÚNICA DO POLICIAL”, em todo Brasil, onde a Mesma terá que ser representada pôr policiais capacitados, politicamente, que saibam negociar com os políticos usando todos os meios necessários, como, por exemplo, o “toma lá me dá cá”; que articulem também junto com os sindicatos e associações de policiais para que, em época de campanha política, conscientizem os policiais, os seus familiares e os seus amigos a votarem somente em candidato policial, ou não, que defenda a aprovação do Estatuto do Direito do Policial do Brasil, como também terão que organizar passeatas, protestos e paralisações de toda classe policial ao mesmo tempo em todo Brasil para conseguirmos a aprovação do estatuto supracitado. OBS.: Não estou dando a última palavra aqui não. Direitos como estes citados e outros que venham a ser introduzido neste Estatuto Provisório podem ser modificados e melhorados para o próprio bem da nossa classe, que hoje em dia está praticamente desprotegida pelo o Estado. AUTORIA: EDILSON MARINHO DA SILVA / FONE: (81)99991139 e-mail: policialdobrasil@yahoo.com.br Assinar meu Livro de Visitas Ler meu Livro de Visitas

Sargento da PM conquista vice-campeonato de judô disputado em Santa Catarina

PATRÍCIA NEVES
Assessoria PM/MT

O sargento da Polícia Militar, Adalberto Corrêa Júnior, 34, lotado no Batalhão de Operações Especiais (Bope), e atuando com instrutor da Companhia de Operações Especiais (COE), conquistou a vice-liderança dos “Jogos Abertos Brasileiros” (JABs), realizado na cidade de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, entre os dias 22 e 25 de abril.

O sargento disputou com atletas do Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. O sargento perdeu o título para o atual vice-campeão olímpico, Carlos Honorato, por pontos. A classificação lhe permitiu disputar o Circuito Europeu de Judô, previsto para acontecer em setembro de 2008.

Adalberto, que integra o efetivo da Polícia Militar há 10 anos, começou a treinar aos 4 nos de idade graças ao incentivo da família. Em seu currículo carrega títulos como de vice-campeão brasileiro e campeão brasileiro júnior. Apesar das premiações, por mais de dez anos o lutador deixou de freqüentar os tatames, retornando às atividades há menos de dois anos. Devido a vasta experiência, também já ministrou aulas para equipes mato-grossenses.

Atualmente, o sargento Adalberto treina com os demais colegas na Companhia de Operações Especiais (COE). “O esporte garante excelente preparo físico, além da disciplina empregada”. No total, a delegação de Mato Grosso, contou com 112 pessoas, que disputaram nas modalidades de futsal, basquete, vôlei, handebol e judô.