Famílias de militares ocupam Central de Operações e segurança fica comprometida em Rondonópolis

Viaturas da PM e do Corpo de Bombeiros tiveram os pneus esvaziados. Homens do Bope chegaram à cidade.

Redação TVCA

Neste momento o comandante geral da Polícia Militar de Mato Grosso, coronel Benedito Campos Filho está reunido com uma comissão da Associação da Família Miliciana de Rondonópolis. O coronel negocia o fim da ocupação do Centro de Operações da Polícia Militar, no centro de Rondonópolis.

O local está ocupado por mulheres e filhos de policiais desde o último sábado, que protestam por melhores salários. Com a ocupação do prédio o trabalho da polícia está comprometido na cidade. O local onde funciona o Corpo de Bombeiros também está ocupado por familiares de militares.

Há pouco, 25 viaturas da Polícia Militar de Cuiabá e 100 homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope) chegaram em Rondonópolis. Eles foram encamihados para a cidade que fica no sul do estado para garantir a segurança da população. A cidade está realizando a Exposição Agropecuária (Exposul).

O protesto das mulheres de policiais militares e bombeiros virou caso de polícia em Rondonópolis. No fim de semana representantes da Família Miliciana iniciaram uma campanha por melhores salários.

O pátio da unidade do Corpo de Bombeiros de Rondonópolis foi ocupado no fim da tarde de domingo por familiares dos policiais. Fardas dos militares foram deixadas em frente ao prédio da corporação. Os pneus da maioria das viaturas do Samu foram esvaziados. E os veículos não puderam ser utilizados.

Das sete viaturas do Samu de Rondonópois somente duas podem deixar a base. As mulheres dos Bombeiros assumiram a Central de Atendimento e apenas as ocorrência mais graves podem ser atendidas. “Tem duas mulheres dentro da central e só estão deixando as viaturas sairem em casos de emergência com vítima porque são casoso em que é necessários salvar vidas”, disse Girlene Souza, mulher de policial.

Segundo o coordenador do Samu, das 7h às 21h 9h, no domingo, por exemplo, pelo menos dois atendimentos deixaram de ser realizados. Por isso o responsável pelo serviço de emergência registrou um boletim de ocorrência no Cisc.

“Tivemos uma chamada e tivemos que deslocar duas viaturas para fora da cidade e momentaneamente a cidade ficou descoberta”, disse Isrrael Paniago, coordenador do Samu de Rondonópolis.

Uma unidade de resgate do Samu e um caminhão de combate a incêndio também ficaram retidos na avenida Fernando Corrêa da Costa em frente a Central de Operações da Polícia Militar (PM). Quatro viaturas da PM também tiveram os pneus esvaziados e fardas dos policiais também foram colocadas na entrada da unidade. Na exposição da cidade (Exposul) a maioria dos policiais militares trabalham sem fardas.

Mulheres e filhos dos policiais chegaram ao Centro de Operações da PM na manhã de sábado (2). A mobilização é organizada pela Associação da Família Miliciana de Rondonópolis.

O secretário chefe da Casa Civil de Mato Grosso, Eumar Roberto Novacki também se reuniu hoje com representantes da Família Miliciana e afirmou que já existe um pedido de aumento salarial enviado à Assembléia Legislativa e que o Governo aguarda votação. As mulheres dos policiais não ficaram satisfeitas com a resposta e prometem manter os protestos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s