Ladrão acusa cabo da Polícia Militar de integrar quadrilha.

 

Policiais militares prenderam, na sexta-feira (25),  Elizeu da Silva, de 24 anos, que foi reconhecido como sendo o assaltante que tentou entrar no Fórum de Cuiabá, no Centro Político e Administrativo (CPA), usando uma farda da Polícia Militar e trocou tiros com PMs.

Baleado na mão e na perna direitas, ele não só confessou a participação na tentativa de assalto, como apontou um cabo PM, que estava no plantão, juntamente com outros três militares, como suposto chefe da quadrilha que iria arrombar o caixa eletrônico do Banco do Brasil, instalado na entrada do prédio.

O nome do cabo não foi revelado.

Segundo Elizeu, o arrombamento só não teria dado certo porque o militar estava com um colega, que não sabia do esquema e atirou. “Foi na hora em que a gente rendeu o cabo e o outro não sabia. Então, ele atirou”, disse o assaltente, em depoimento na Polícia Civil.

Além de Elizeu e outro bandido que foi baleado, havia mais dois integrantes da quadrilha e que estavam num Fiat Fiorino, com o denominado “kit arrombamento” – cilindro de oxigênio, botijão de gás e maçarico – para cortar o terminal de autoatendimento. A reação dos PMs acabou abortando o assalto.

O assaltante acrescentou que ele e os outros três foram contratados pelo cabo PM, num bar do bairro Canjica, na periferia de Cuiabá, onde o militar teria disponibilizado a farda para ele usar durante o assalto. “A farda foi queimada depois da tentativa de assalto, para não deixar pistas”, explicou.

O esquema teria tudo para dar certo. O caixa do BB tinha sido reabastecido na terça-feira e o circuito interno de segurança não estava funcionando há vários dias e somente seria consertado na próxima semana.

Para o esquema funcionar, segundo o assaltante confessou, o bando deveria chegar antes da 2 horas da madrugada, pois seria o chamado “quarto de hora”. Os demais policiais que trabalham na segurança externa estariam nos fundos, dormindo.

Apuração

Os PMs foram até a casa do militar suspeito, que não foi encontrado. Policiais plantonistas informaram que, caso ele fosse localizado, seria preso como participante da tentativa de assalto.

O comandante do Comando Regional I, coronel Jadir Metelo Costa, disse que a prisão do assaltante é uma resposta rápida às ações criminosas. Lembrou que a equipe de apoio, em todos os batalhões, está sendo fundamental para dar agilidade nos trabalhos.

Ele observou que somente com informações privilegiadas é que os bandidos conseguem atacar caixas de autoatendimento. “Não poderia ser de outra forma. Somente com informações privilegiadas é que os bandidos estavam tendo vantagem. Agora, não têm mais”, disse o oficial.

O coronel adiantou que todas as providências cabíveis no caso do suposto envolvimento do cabo PM estão sendo tomadas pela Corregedoria Geral da Polícia Militar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s