FORÇAS ARMADAS: REAJUSTE SOMENTE EM 2013!

A AMARP, associação de militares inativos sediada no DF, divulgou em seu site que participou em 3 de maio, juntamente com representantes da APRAFA, de reunião no Ministério da Defesa. Transcrevemos abaixo o texto.

Audiência das Diretorias das Associações AMARP-FFAA-DF e APRAFA antecipadamente agendada com o Senhor Ministro da Defesa, representado pelo seu Chefe de Gabinete, Ari Machado, na impossibilidade da presença do Ministro.

Foram tratados nessa reunião assuntos de interesses imediatos da Família Militar, entre eles:

1 .Reajuste salarial. O Sr. Genivaldo da Silva, Presidente da Associação de Militares da Ativa Reserva e Pensionistas das Forças Armadas, sustentou por 25 minutos as necessidades primarias pelas quais estão passando os Militares das FFAA, cujos soldos se acham aquém dos demais órgãos do Executivo, e inferiorizados em relação a Policia Militar e Civil do Distrito Federal.
Resposta: Sobre Reajuste nos informa o Sr. Chefe de Gabinete do MD, que existe um estudo no Ministério do Planejamento que esta sendo acompanhado pela Comissão do Ministério da Defesa onde informaram que neste ano de 2012 não haverá reajuste salarial, havendo possivelmente um reajuste em julho de 2013.

2. Cobrança do pagamento do reajuste dos 28.86% referente a Lei 8.622/93, já pacificada pelo STF, que determinou seja feito o pagamento pelo Governo Federal…

R. O Ministro Celso Amorim esta aguardando a resposta do Ministro do Planejamento que solicitou a planilha de calculo atualizada para fazer o ajuste no orçamento e que provavelmente também não sairá neste ano 2012.

 

3. Foi solicitado o cumprimento do artigo 24 do decreto 667 de 17 de julho de 1969, que define a parte salarial das Forças Armadas.

(Art.24. Os direitos, vencimentos, vantagens e regalias do pessoal em serviço ativo ou na inatividade, das Polícias Militares constarão de legislação especial de cada Unidade da Federação, não sendo permitidas condições superiores às que por Lei ou Regulamento, forem atribuídas ao pessoal das Forças Armadas. No tocante a Cabos e Soldados, será permitida exceção no que se refere a vencimentos e vantagens bem como à idade-limite para permanência no serviço ativo)
R. Já tem ação julgada improcedente pelo STF de um Militar das Forças na qual o mesmo pedia a equiparação salarial com os dos PMs.

4. Foram cobrados do representante do Ministro da Defesa os motivos pelos quais a Medida Provisória 2.215-10 de 31 de dezembro de 2001 está tramitando no Senado federal há 12 anos sem que seja votada.

R. Depois daremos uma resposta.

5. Sobre o Projeto de Promoção dos Sargentos do Quadro Especial (QE).
R. O projeto já esta na Casa Civil pronto para ser encaminhado para a Câmara dos Deputados Federal.
6. Fizemos ver ao Sr. Ari Machado, representando o Sr. Ministro da Defesa que além do cumprimento das suas funções constitucionalmente definidas, as FFAA quando solicitadas pelo Governo Federal sempre se acham em condições de atender as solicitações seja de pacificação de favelas no Rio de Janeiro, a exemplo do Morro da Rocinha, Salgueiro e o do Alemão, quando nossos Militares correndo o mesmo risco de vida que Policias Militares, sendo que os PMs recebem treinamento para esse combate a marginalidade, e os Militares da FFAA são treinados para a guerra, Mas quando se fala de salários nunca tem verba para nos repor.

R. sem resposta  /Encerrada a Reunião.

Nossos cumprimentos a AMARP e APRAFA//

Obs: A AMARP empreendeu em 1 de março desse ano uma manifestação em Brasília reivindicando melhorias saláriais para os militares das Forças Armadas.

Do site http://reservativa.blogspot.com.br, publicado também em http://montedo.blogspot.com.
aprafadf@gmail.com / amar_mil@yahoo.com.br / ou pelo site www.aprafa.com.br
AMARP-FFAA-DF Tel. 61 3039 5164 / APRAFA Tel. 61 3965 2394 /Brasília oito de maio de 2012
Genivaldo da Silva Pres. AMARP-FFAA-DF. // Jair da Silva Santos Pres. Da APRAFA

Fonte: http://sociedademilitar.com

10 Dicas para escolher bem uma empresa de segurança.

O mercado de segurança privada no Brasil tem crescido no ritmo de 20% ao ano, com um faturamento de R$ 15 bilhões. Estima-se que, em todo o mundo, as empresas que oferecem serviço de vigilância possuem o dobro de homens capacitados em comparação com o efetivo policial. Isso representa um exército de 20 milhões de vigilantes, dos quais 570 mil são servidores no Brasil.
A proteção de propriedades particulares, como condomínios residenciais, shoppings e eventos é uma preocupação cada vez maior. A questão, no entanto, é a garantia de segurança por parte das prestadoras de serviço. Com o aquecimento do setor, empresas amadoras e irregulares concorrem com preços abaixo do mercado e comprometem a tranquilidade desejada pelos proprietários.
Para evitar complicações causadas pelas clandestinas, alguns aspectos devem ser considerados durante a escolha da empresa de segurança adequada. Conheça algumas delas:
1-Legalidade. Alguns documentos são necessários para a legalização da empresa. Entre outros, o Certificado de Segurança da Polícia Federal e a Autorização de Funcionamento emitida pelo Ministério da Justiça são essenciais.
2-Funcionamento. Certifique-se de que a empresa opera há mais de 10 anos no mercado e tem qualificação técnica para prestação de serviços.
3-Histórico. O dono da empresa e os vigilantes não podem ter antecedentes criminais ou estar envolvidos em processos judiciais.
4-Clientes. Boas referências demonstram a seriedade da empresa. Mais de 10 clientes asseguram a qualidade do serviço.
5-Efetivo. Os vigilantes devem ser licenciados e estar com treinamento renovado a cada dois anos. A idade dos profissionais deve ser preferencialmente entre 25 e 45 anos, e uniformes demonstram uma boa organização. Policiais civis e militares são proibidos de prestar serviços privados.
6-Armamento. A legalidade de porte de armas impõe obrigações adicionais e custos com os quais pequenas empresas não podem arcar. Vigilantes desarmados nem sempre conseguem conter um ato criminoso, e é de responsabilidade da empresa garantir a segurança também dos funcionários.
7-Equipamento. Integração entre homem e tecnologia é uma das maiores apostas para a segurança privada. Veículos oficiais, rádios profissionais e materiais de treinamento também são diferenciais importantes.
8-Instalações. Visite o escritório da empresa para conhecer o estado das instalações. Uma prestadora de serviços de vigilância deve possuir uma sede moderna e que evidencie a importância do uso da tecnologia para segurança, além de contar com um escritório de representação na internet.
9-Planejamento. Solicite um plano prévio de segurança. Ele deve conter o número de vigilantes encarregados e um planejamento do sistema de alarme que será utilizado em sua propriedade.
10-Custo. O custo do serviço depende das necessidades do cliente, mas também está relacionado ao nível de formação dos guardas, aos custos das armas e dos equipamentos técnicos, entre outros.(sintonia .com.br)

Deputado Emanuel Pinheiro sugere política de prevenção ao tabagismo.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Amparo à Criança, ao Adolescente e ao Idoso, deputado Emanuel Pinheiro, defendeu na tribuna da Assembleia Legislativa, a qualidade de vida da população mato-grossense. Pinheiro falou de um assunto bastante complexo, de saúde pública, que deve ser regulado com responsabilidade, com uma legislação que iniba a oferta, demanda e consumo do tabaco. O parlamentar apresentou um Projeto de Lei que Institui a Política Estadual de Prevenção ao Tabagismo.

Pinheiro explica que a propositora tem por objetivo proteger a população das doenças causadas pelos produtos derivados do tabaco em todos os níveis.

Emanuel Pinheiro disse que se aprovado o projeto, ficará proibida no Estado a propaganda, por meio de pôsteres, painéis e cartazes, de cigarros e assemelhados nos postos de vendas, ressalvadas a exposição do produto, conforme Lei Federal nº 12.546/2011. “Com o fim da publicidade nos meios de comunicação de massa, os fabricantes de cigarro passaram a investir em pôsteres, painéis e cartazes nos pontos de venda. Então, nada mais correto para coibir a oferta, sobretudo para os jovens, do que proibir a propaganda de produtos fumígenos por estes meios”, apontou.

Durante o discurso Pinheiro disse que como se trata de um problema de saúde pública, cabe ao Estado legislar sobre essas questões de forma complementar para que medidas de combate ao tabagismo encontrem uma maior aplicabilidade dentro do território de Mato Grosso.

O republicano lembra que é proibida a venda e a doação a menores de 18 (dezoito) anos de produtos derivados do tabaco, conforme a Lei Federal nº 8.069/90 (Estatuto da Criança e do Adolescente). Outro fator de preocupação, que também vai diretamente de encontro com a preservação da saúde de crianças e adolescentes, é a adição de sabores de frutas vermelhas, chocolate e baunilha, o que contribui para a iniciação de menores de idade ao ato de fumar, em um momento da vida que ainda não estão capazes de discernir e entender corretamente os conseqüentes malefícios do tabagismo. “O que se percebe é que cigarros com sabor de frutas não são consumidos por fumantes adultos, mas sim por um público formado, principalmente, por menores de 18 anos”, afirmou Pinheiro.

Deputado Emanuel Pinheiro propõe audiência sobre segurança em Juscimeira.

ecom/AL

A Assembleia Legislativa realiza no dia 22 de junho, em Juscimeira, audiência pública para debater a segurança no município e região. Na opinião do parlamentar, as forças de segurança buscam aprimorar-se a cada dia e atingir níveis que alcancem a expectativa da sociedade como um todo, imbuídos pelo respeito e a defesa dos direitos fundamentais dos cidadãos. A audiência acontecerá às 19 horas na Câmara Municipal de Juscimeira.

“Diante disso, compete ao Estado garantir a segurança de pessoas e bens, o respeito pelas leis e a manutenção da paz e da ordem pública”, explicou Pinheiro.

Para ele, a segurança pública enquanto atividade desenvolvida pelo Estado é responsável por empreender ações de repressão e oferecer estímulos ativos para que os cidadãos possam conviver, trabalhar, produzir e se divertir, protegendo-os dos riscos a que estão expostos.

“Diversos acontecimentos têm-nos provado que é impossível pensar num quadro de estabilidade com relação à segurança pública de tal maneira que se protegesse por completo dos efeitos da criminalidade”, afirmou o deputado.

De acordo com o parlamentar, há uma grande deficiência nas chamadas políticas de segurança pública aplicadas no sistema e convém neste ponto, “realçar que em todo o país a manutenção da segurança interna, deixou de ser uma atividade monopolizada pelo Estado”.

Pinheiro apontou que entre as causas dessa deficiência estão o aumento do crime, do sentimento de insegurança, do sentimento de impunidade e o reconhecimento de que o Estado, apesar de estar obrigado constitucionalmente a oferecer um serviço de segurança básico, não atende sequer às mínimas necessidades específicas de segurança que formam a demanda exigida pelo mercado.

MT: MP obtém liminar para aumentar o efetivo das Polícias Civil e Militar.

A Justiça acatou o pedido de antecipação de tutela da ação civil pública proposta pelo Ministério Público Estadual (MPE) e determinou ao Estado de Mato Grosso que, em um prazo de 30 dias, remaneje quatro policiais militares e um investigador de Polícia Civil para a cidade de Feliz Natal. Com isso, o município passará a contar com um efetivo de, no mínimo, 9 policiais militares e um escrivão de Polícia Civil, em plena atividade, garantindo, ao menos, a fixação de turnos alternados de revezamento de 48 horas.

Além do aumento de profissionais, o Estado também terá que entregar dois veículos – um para a Polícia Militar e um para a Polícia Civil – tipo caminhonete, adaptados para locomoção em estrada de terra e equipados com rádio patrulha. O abastecimento do veículo da Polícia Militar deverá ser feito em posto de combustível instalado no município. Caso não cumpra as determinações, o Estado terá que arcar com multa diária de R$ 1.500,00.
De acordo com o promotor de Justiça Daniel Balan Zappia, aliado ao problema das viaturas, que não são apropriadas para percorrer as estradas de terra localizadas no território do município, o efetivo da PM é incompatível com a realidade do município, que enfrenta uma onda de crimes patrimoniais, de tráfico de entorpecentes e ambientais. “A PM é constituída por cinco policiais que devem realizar policiamento ostensivo, vigiar o fórum e atender as ocorrências, sobretudo, pelo telefone 190. Já a Polícia Civil, que após o ajuizamento da ação aumentou o número de servidores lotados no município, deverá manter esse efetivo”.
Consta, ainda, na ação do Ministério Público que os imóveis utilizados pelas Polícias Civil e Militar estão em situação precária. “O prédio onde está instalada a Delegacia de Polícia não apresenta dispositivo de segurança, a rede elétrica é instável e apresenta fiação exposta; possui cela com estrutura e dimensões irregulares e não apresenta pátio para depositar veículos apreendidos”, consta em um dos trechos.
O promotor destacou que, apesar de apresentar uma estrutura deficitária, as referidas agências policiais possuem intensa demanda social, já que os registros de atendimento revelam números consideráveis. “Somente a Polícia Militar atendeu 547 ocorrências no exercício de 2009, enquanto a Polícia Civil registrou 432 Boletins de Ocorrência, 23 Termos Circunstanciados e 94 inquéritos policiais”, enfatizou.
Segundo ele, o MP solicitou informações junto à Secretaria de Estado de Segurança Pública, porém, o órgão apenas informou que havia iniciado um procedimento administrativo para suprir as irregularidades apontadas, sem fixar prazos. “O desaparelhamento funcional e material das Polícias Civil e Militar demonstra que o Estado incorre em flagrante violação do artigo nº 144 da Constituição Federal, desconsiderando a situação calamitosa em que se encontra a prestação de serviço público essencial. Cabe ao Ministério Público acionar o poder público para garantir segurança pública à população do município”.
Esperamos que isto sirva de exemplo para outras cidades do estado, pois temos muitos sem o minimo de policiais para fazer o policiamento.

Delegados encerram greve em Goiás.

Após acordo com o governo sobre pagamento de benefícios, os delegados da Polícia Civil de Goiás encerram a greve nesta quarta-feira (16). Foi oferecida uma gratificação entre 5% e 20% do salário, que deverá ser paga gradativamente até 2013.

A proposta de adequação de carreiras dos delegados também foi aceita. A greve iniciou na segunda-feira (14) e nem todas as reivindicações dos profissionais foram atendidas. Segundo a delegada-geral da Polícia Civil de Goiás, Adriana Accorsi, eles voltarão ao trabalho e as conversas vão continuar ao longo do ano.

A paralisação iria começar na semana passada, mas foi adiada por causa da queda do helicóptero da Polícia Civil que deixou oito mortos, na terça-feira (8), próximo à cidade de Piranhas, a 325 km de Goiânia. A delegada Adriana Accorsi estaria na aeronave, mas deixou de ir com o grupo justamente para negociar com os delegados e tentar evitar que eles entrassem em greve.

Na última terça-feira (15), apenas um distrito policial funcionou em Goiânia. O local enfrentou superlotação e demora no atendimento.

 

PMMT exclui soldado acusado de fazer vários furtos e associação ao tráfico de drogas em Mato Grosso.

A Polícia Militar de Mato Grosso excluiu das fileiras da corporação, após investigação do Conselho de Disciplina, o soldado Fabrício de Souza Silva, sob acusação de participação de vários furtos em cidades do Estado e, inclusive, ter sido preso por associação ao tráfico de drogas em Peixoto de Azevedo (690 km de Cuiabá).

Segundo consta da portaria que o demitiu, publicada no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira, o soldado foi autuado em flagrante no dia 25 de março de 2008 por furto qualificado em duas lojas de móveis e eletrodomésticos no município de Jaciara. Conforme inquérito policial, os objetos furtados foram um monitor de 19 polegadas LCD e duas câmeras fotográficas.

Já na data de 28 de maio de 2008, Maurício e outros dois homens foram presos em uma tentativa frustrada de furto em outra loja, no município de Arenápolis.

No dia 11 de dezembro do mesmo ano, o acusado teria cometido furto em uma loja no município de Terra Nova do Norte. O sistema de circuito interno da loja gravou o furto de dois aparelhos de toca-cd, cometido por ele e mais dois comparsas.

Já o envolvimento com o tráfico de drogas foi evidenciado em 28 de abril de 2009, quando o policial foi preso em Cuiabá, em cumprimento ao mandado de prisão temporária expedido pela 2ª Vara da Comarca de Peixoto de Azevedo, sob acusação de tráfico de entorpecentes e associação para o tráfico. A acusação teria sido confirmada por investigação realizada pelo Gaeco a pedido do Ministério Público Estadual.

Diante das provas apresentadas no processo disciplinar, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Osmar Lino Farias, assinou a portaria de exclusão do policial a bem da disciplina nas fileiras da PM de Mato Grosso.

Enfrentando problemas.

Lair Ribeiro

Enfrentando problemas

Sabe como transformar seus problemas em probleminhas? — Com reflexão.

Com quem aprender a refletir? — Com o seu mestre interno, que é você mesmo.

Lá dentro de você existe muito conhecimento. O suficiente para ensiná-lo como romper barreiras intelectuais e livrar-se das amarras que o “protegem” contra mudanças, impedindo-o de construir um futuro melhor para si mesmo.

Gratidão

Você é daquelas pessoas que, quando ouvem falar em gratidão, vão logo dizendo: “Eu lá vou agradecer por uma desgraça que aconteceu na minha vida?”

Se for, permita-me dizer-lhe que você está falando bobagem. Agradeça sim, não a desgraça, mas a experiência que ela traz para a sua vida.

As coisas acon­te­cem porque têm de acontecer. Ou você tira proveito delas ou tira prejuízo. O que você prefere? De acontecimentos tristes e dolorosos, o benefício é a experiência, e o prejuízo, é a dor. Com qual você prefere ficar?

Perdão

O perdão libera mágoas, solta amarras e alivia pesos. Quando perdoa, você manda uma men­sa­gem positiva para a sua mente. No momento em que perdoa, você se sente bem e mani­festa apreço por si mesmo.

Costumo dizer que o perdão, antes de ser um ato de amor, é um ato de inteligência, que faz mais bem a você do que à pessoa que foi perdoada. Se você não conseguir perdoar com o coração, comece per­doando com o cérebro. O sentimento vem em seguida, esteja certo disso.

Culpa e ansiedade

Culpa é um sentimento do passado e ansie­dade é um senti­mento do futuro. É natural, pois ninguém sente culpa em relação a alguma coisa que ainda não fez, nem sente ansiedade por algo que já tenha ocorrido.

Para dissolver esses sentimentos que só prejudicam o seu de­sem­penho, é muito simples: viaje com eles. Nossa mente tem o poder de viajar para qual­quer lugar. Se você imagina que está em Paris, não há fron­teiras nem demora para essa viagem mental. Numa fração de segundo, lá está você passeando junto à Torre Eiffel ou ao Arco do Triunfo. E a mente tam­bém viaja para o futuro, mas nem sempre você tem consciência disso.

O presente, o passado e o futuro

O problema da ansiedade é resolvido viajando-se para o futuro, e o da culpa, para o passado. Mas, em ambos os casos, você não saiu do presente, do aqui e agora. Isso significa que o presente criou o futuro, no caso do medo de viajar de avião, e recriou o passado, no caso da culpa pelo atropelamento.

Mas não é só para resolver problemas que podemos usar esse recurso especial. Você pode criar o futuro viajando com as suas qualidades.

Exercite-se

Digamos que o você teve uma reunião com a diretoria da empresa onde trabalha e nela, por algum motivo, o seu de­sem­pe­nho foi insa­tis­fa­tório. Isso deixou em você uma lembrança que até hoje o incomoda. Para dis­solver essa lembrança negativa, pergunte-se: — De que re­cursos pessoais eu precisaria, naquele momento, para mudar o impacto emocional daquele fato na minha vida?

Relacione, pelo menos, três desses recursos. Depois, pense em situa­ções da sua vida em que essas qualidades se manifes­taram, projete-as na sua mente e congele a imagem, em cores. Em seguida, coloque-se, mentalmente, alguns mi­nutos antes da traumática reunião e veja-se con­fian­te e fortalecido. Então, entre na reunião e pergunte-se: — Quem sou eu? Uma pessoa capaz de ter aquelas qua­li­dades ou uma que, por um momento, falhou?

Naturalmente, você é uma pessoa capaz das qualidades necessárias para sair-se muito bem na reunião.

 


Delegados de Goias entram em greve.

Principal reivindicação diz respeito a reajustes salariais. Apenas 14 delegacias funcionarão em todo o estado



Nesta segunda-feira, 14, os delegados da Polícia Civil retomaram a greve da categoria, adiada devido a morte dos delegados e peritos após acidente aéreo ao retornar da segunda reconstituição da chacina em Doverlândia, no último 8, terça-feira. Após o culto ecumênico em homenagem às vítimas, realizado às 8h no Palácio das Esmeraldas, os delegados seguiram para uma assembleia da categoria, que reuniu cerca de 100 pessoas na Adpego (Associação dos Delegados de Polícia Civil de Goiás).

A vice-presidente do Sindepol-GO (Sindicato dos Delegados da Polícia Civil do Estado de Goiás), delegada Silvana Nunes, afirmou ao Jornal Opção que a paralisação foi iniciada devido a uma “quebra de confiança” para com o governo, que havia sinalizado um acordo e “recuou” da decisão. “Nossa greve não tem previsão de fim. Só retornaremos quando um projeto de lei que atenda às nossas reivindicações for encaminhado à Assembleia Legislativa”, disse. Entretanto, o governo estadual divulgou nota oficial durante esta tarde afirmando que “acredita no bom senso dos delegados da Polícia Civil e espera que eles reavaliem a proposta de aumento salarial, que foi feita de acordo com a capacidade de pagamento do Estado”.

Esta é a principal reivindicação da categoria, já que os referidos reajustes salariais não acontecem há oito anos, como reforçou Silvana Nunes. Também está entre os motivos de insatisfação a falta de prédios próprios para as instalações da PC, principalmente para a realização de treinamentos. “Estamos há muito tempo sem poder treinar nossos policiais, pois não temos um lugar próprio para este fim”, relatou.

O governo informou que a proposta feita anteriormente garante os aumentos salariais de ativos e inativos, reestrutura a carreira (incluindo a possibilidade de promoções pessoais) e cria gratificação por produtividade a ser anualmente incorporada nos salários até 2014. “O Governo entende que não pode deixar pendências financeiras para serem assumidas pela próxima administração estadual”, alerta a nota. Também foi informado que ainda amanhã o secretário de Segurança Pública irá se reunir com representantes da categoria para rediscutir a situação em busca de um acordo.

Devido à paralisação, apenas 14 delegacias de polícia funcionarão em todo o estado, número que corresponde à quantidade de regionais. Dessa forma, serão lavrados apenas flagrantes de crimes hediondos, como assassinatos, estupro, entre outros. “Nenhum boletim de ocorrência, nem mesmo de furto e roubo de veículos será registrado, os policiais militares terão que se deslocar às regionais”, explicou Silvana. Por conta disso, a adminstração estadual pretende se utilizar de um plano de contingência, a fim de não prejudicar a população.

Fonte: Jornal Opção

 

Nota sobre a greve dos delegados da Polícia Civil

O Governo  de Goiás acredita no bom senso dos delegados da PolíciaCivil e espera que eles reavaliem a proposta de aumento salarial, que foi feita de acordo com a capacidade de pagamento do Estado. As negociações com a categoria foram conduzidas pelos secretários de Gestão e Planejamento, Giuseppe Vecci, e da Segurança Pública e Justiça, João Furtado.

Além de garantir aumentos salariais para os delegados da ativa e inativos,a proposta do Governo inclui reestruturação da carreira, que prevê inclusive promoções pessoais, e cria gratificação por produtividade que será anualmente incorporada ao salário até 2014.

O Governo entende que não pode deixar pendências financeiras para serem assumidas pela próxima administração estadual.

Amanhã,terça-feira (15/05), o secretário da Segurança Pública e Justiça,João Furtado, voltará a se reunir com os representantes da categoria, em seu gabinete às 8h30, para buscar um acordo que será levado ao governador Marconi Perillo.

A SSPJ já tem um plano de contingência para que a população não seja prejudicada no atendimento. Entre as medidas adotadas, a Polícia Militar ficará encarregada de lavrar os Termos Circunstanciados de Ocorrências (TCOs).

Funcionário de posto desviava combustível com dados de policial.

Seis pessoas, sendo um ex-frentista de um posto de combustível e 5 taxistas, foram presas em flagrante sob acusação de fraudarem a aquisição de combustível pago pelo Estado para abastecimento de carros oficiais em Campo Novo dos Parecis (396 km a noroeste da Capital).

A Polícia Civil informa que as prisões aconteceram no sábado (12) e nesta segunda-feira (14) e serão indiciados por receptação e formação de quadrilha. Primeiro a ser preso foi o ex-frentista Paulo André Ferreira Mendes, 31, apontado como o mentor do esquema criminoso. Ele falsificou a assinatura de um policial militar lotado na cidade de Campo Novo dos Parecis e digitava os dados para liberar combustível usando placas de viatura da Polícia Civil de Colíder e da Força Tática da Polícia Militar de Tangará da Serra. Em seguida, o suspeito enchia os galões e acomodava no porta-malas de seu veículo. Ele indicada placas de carros oficiais da Polícia e enchia os galões de combustível. Depois revendia aos taxistas por valor abaixo do preço das bombas dos postos. Ele irá responder pelo crime de tentativa de estelionato, falsidade ideológica e formação de quadrilha De acordo com a assessoria da Polícia Civil, Paulo foi surpreendido no posto de gasolina digitando a senha e login do PM. Ele tentava comprar mais de 400 litros e acabou sendo autuado em flagrante.

Levado para a delegacia confessou o crime e indicou os taxistas como sendo as pessoas para quem o produto era repassado. Outros presos são os taxistas Airton Cesar Becker, 30, Narciso Rena, 64, Lindavi Alves de Jesus, 35, Sinval Florêncio Simão, 32, e Ivanildo Lis da Silva, 34, que já tem passagem por tráfico de drogas. Eles foram presos em suas residências, locais onde os investigadores conseguiram apreender aproximadamente 1.000 litros armazenados em galões. Contudo, Paulo pagou fiança de R$ 3, 5 mil e para cada taxista o valor arbitrado foi de R$ 2 mil. Eles responderão pelos crimes em liberdade.

Em depoimento, os presos alegaram desconhecer que o combustível adquirido era de origem ilícita, mesmo estando com preço inferior ao do mercado. Seguindo a legislação penal, o delegado arbitrou fiança para os presos. Conforme o delegado Eder Clay de Santana Leal, as investigações iniciaram a partir de uma denúncia feita pela Polícia Civil do município de Colíder, após o conhecimento de erro no abastecimento e na quilometragem de viaturas. Investigadores conseguiram identificar várias autorizações obtendo gasolina liberadas através da senha e login do policial. “Como Paulo trabalhou no posto que abastecia viaturas da Polícia Militar, se apossou dos dados do servidor, sem o conhecimento dele”, disse o delegado Eder Clay. Conforme o delegado, pelo sistema de controle de abastecimento, Paulo realizou a fraude por diversas vezes.