PRONUNCIAMENTO DO COMANDANTE GERAL DA PMMT

 

140225042905_1

 

Dirijo-me aos mais de seis mil valorosos policiais militares de Mato Grosso, os Homens do Mato.

Por uma sequência de infelizes acontecimentos a Polícia Militar perdeu na última semana três companheiros de farda: Maj PM R/R Claudemir Gasparetto, Cb PM Jeferson Vilker de Souza e o Sd PM Danilo César Fernandes Rodrigues.

Todas essas perdas foram de forma trágica e violenta.

Cada um de nós policiais militares que no dia-a-dia se desdobra em sua atividade profissional para melhor servir e atender o cidadão está, sem exceção, em profunda tristeza e pesar, tentando entender o ocorrido e superar o sentimento de perda desses colegas de farda. Estamos todos nós solidários aos familiares dos colegas que nos deixaram, rogando ao bondoso Deus que os conforte nesse difícil momento.

 Cada um desses crimes está em fase de investigação conduzida pela Polícia Judiciária Civil – PJC, pela qual nutrimos respeito e confiança no breve esclarecimento dos fatos, identificação dos autores, os levando a Justiça, para que respondam pelas suas ações.

 Determinei a Diretoria da Agência Central de Inteligência – DACI, que acompanhe o caso junto a PJC e deixe a PMMT sempre pronta a colaborar em quaisquer ações legais e necessárias.

 Estamos vivendo um momento difícil, mas a Polícia Militar nestes momentos sempre se renova e encontra no profissionalismo e dedicação de seus integrantes força para se superar e continuar a prestar um bom serviço ao cidadão.

 Daqui a poucos dias a Polícia Militar terá um papel determinante nas relações sociais ao garantir a segurança do cidadão que junto a amigos e familiares, comemorará os festejos do carnaval.

 Mais uma vez, mesmo num momento difícil, nós policiais militares iremos para as ruas, em todos os 141 municípios e nas diversas comunidades garantir a ordem, preservar vidas e os direitos do nosso povo.

 Policial Militar você é nobre como profissional e pessoa e seu trabalho dá tranqüilidade e harmonia ao cidadão, lembre-se disso!

Busque inspiração no seu cotidiano de bons serviços: um veículo recuperado, uma vida salva, um jovem resgatado e devolvido a sua família, grande quantidade de drogas tiradas das ruas, assaltos evitados, assaltantes, homicidas, traficantes detidos. Poderíamos elencar mais um sem números de boas ações. Todas elas têm o reconhecimento e respeito de cada morador de Mato Grosso.

Nesses 293 anos de nossa existência tivemos muitas perdas na Polícia Militar que nos deixaram tristes e abalados. Mas também nunca deixamos de bem atender o cidadão.

Esse sentimento pode ser renovado quando em forma e embalados pela nossa Banda de Música cantamos o Hino da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso:

“Nobre a missão de segurança, dessa terra colosso, 

dos brasileiros a esperança, o Estado de Mato Grosso.

Defendendo a sociedade, com energia e braço forte,

lutando com tenacidade, não temendo a própria morte.

 

Nos cerrados e nas campinas, ou nas vilas e cidades,

a PM é disciplina, é ordem, é tranquilidade.

 

Na guerra, nas calamidades, na paz e na prosperidade, 

guardando essa gente varonil, no Centro-Oeste do Brasil.”

Peço a todos os policiais militares serenidade, profissionalismo e acima de tudo esse sentimento que nos enobrece de sempre fazer o melhor.

Que Deus todo poderoso nos proteja e nos ajude a continuar a cuidar de nossa gente.

Quartel do Comando Geral da PMMT, em Cuiabá-MT, 25 de fevereiro de 2014.

Nerci Adriano Denardi – Cel PM

Comandante Geral da Polícia Militar

Anúncios

QUEM PROTEGE E DEFENDE OS POLICIAIS MILITARES.

admin-ajax

Muitas autoridades possuem segurança para exercer seus misteres, incluindo aí, as autoridades do judiciário, legislativo e executivo. Normalmente, essa segurança é proporcionada pela Polícia Militar, diuturnamente, durante o ano todo.

Mas quem protege esses policiais?

O Estado, a sociedade, a justiça, as leis ou outras instituições governamentais ou não.

Esse é um grande questionamento, às vezes, ouço ou leio algum comentário sobre as organizações de defesa dos direitos humanos, logicamente que na grande maioria das vezes, não são adjetivados de forma positiva, pois há um grande equívoco de interpretação sobre o verdadeiro papel dessas instituições, porque as mesmas surgiram da necessidade de defender o cidadão contra os desmando e arbitrariedade do Estado.

Na árdua missão, o policial encontra inúmeras situações que colocam em risco a sua liberdade, integridade física e a própria vida. Muitos são sacrificados no altar da proteção à sociedade, mas não vermos ninguém a lamentar por sua perda, apenas seus familiares, amigos e colegas de profissão, ademais, uma nota no noticiário policial, como temos visto aqui no Mato Grosso recentemente, um Oficial, um Cabo e agora um Soldado, mortos e ainda criticados, até quando?

“SERÁ QUE VALE APENA ENTREGAR SUA VIDA, SEUS SONHOS, DE SEUS FILHOS E ENTES QUERIDOS POR UM SALÁRIO DE MISÉRIA QUE O GOVERNO NOS PAGA????

E AINDA TERMOS UM MONTE DE GENTE IDIOTA QUE DEFENDE OS BANDIDOS, SERA QUE QUANDO A VITIMA É UM PARENTE OU AMIGO, VAI DEFENDER DO MESMO JEITO”.

A Polícia Militar do Estado de Mato Grosso está de luto pela perda de alguns integrantes da gloriosa, mas DEUS esta no comando e as vitórias estão por vir, que DEUS nos abençoe e nos proteja nos dando sabedoria para seguirmos em frente “servindo e protegendo”.

Ainda temos forças para lutar pela sua vida, ainda temos forças para SERVIR E PROTEGER, os policiais militares de Mato Grosso pedem socorro.

Valorização dos policiais militares é só isso que queremos.

1184827_191699717674621_228003999_n

CARLOS ROBERTO DIAS – 1º SGT PM

PORTARIA MINISTERIAL ASSEGURA DIREITO DE OPINIÃO AOS AGENTES DE SEGURANÇA PÚBLICA.(BLOGs)

Polícia Militar Legal

Art. 2º A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e o Ministério da Justiça estabelecerão mecanismos para estimular e monitorar iniciativas que visem à implementação de ações para efetivação destas diretrizes em todas as unidades federadas, respeitada a repartição de competências prevista no art. 144 da Constituição Federal de 1988.

Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.
3) Assegurar o exercício do direito de opinião e a liberdade de expressão dos profissionais de segurança pública, especialmente por meio da Internet, blogs, sites e fóruns de discussão, à luz da Constituição Federal de 1988.

Que País é esse?

1150879_341768345956185_1500644303_n
Meu Deus! Que País é esse?

Um país onde quem comanda é a bandidagem.

Um país em que os seus governantes, os criadores das leis, estão em suas mansões cercados de seguranças. Enquanto a população trabalhadora, gente do bem, está trancafiada, presa em seus próprios lares.

Onde estão os direitos humanos? Direitos humanos só para bandidos, traficantes, ladrões e assassinos?

Que País é esse?

Onde quem manda no país vai para dentro das prisões para conversar com traficantes, para que a Copa do Mundo aconteça.

Qual a condição que ela propôs para eles? (ela, a presidenta Dilma).

Por que, Presidenta, em vez de andar visitando cadeias, você não olha para esse país decadente de empregos, saúde, educação e salário justo?

Que País é esse?

Onde o escalão, os poderosos, essa corja de ladrões do povo brasileiro que rouba descaradamente do trabalhador para alimentar as suas orgias e suas ganâncias.

Que País é esse?

Onde os políticos só pensam em si próprio? o trabalhador, as pessoas honestas que se danem.

Que País é esse?

Onde as leis só prevalecem para os marginais? que traficantes, bandidos, roubam, matam e fica por isso mesmo.

Que País é esse?

Que não tem um político que lute em favor do ser humano (gente do bem). Que as leis não mudam nunca e quando isto acontece é para proteger marginais e eles mesmos.

Que governo é esse que os adolescentes não podem trabalhar, Mas podem traficar, roubar e matar?

Que País é esse?

Que os pais não podem educar seus filhos da sua maneira.

Que País é esse?

Em que o presidente, junto com sua corja de seguidores e cúmplices, invadem as famílias e ditam regras aos pais na educação de seus filhos.

Que País é esse?

Que os políticos roubam descaradamente e ainda tiram sarro da cara dos brasileiros.

Que País é esse?

Que cobra dos trabalhadores impostos altos para darem aos infelizes esmola de bolsa família, chapéu de couro etc… para compras de votos. Por que não tiram do próprio bolso, que estão recheados com o suor dos trabalhadores?

Porque tudo isso, volto a dizer, é compra de voto.

Que País é esse?

Que não abre campo de trabalho para que as pessoas sintam-se dignas e humanas?

Que País é esse?

Que a população, gente do bem, está algemada e presa por causa dos governantes desse país? Um país sem lei, sem limites, em que impera a bandidagem.

Que o Divino Espírito Santo abra a mente e o coração desse povo cruel e que eles saibam que lá em cima existe um ser superior, que é Deus.

Major Fábio defende a votação da PEC 300 antes da Copa do Mundo.

pec300_policialbr

Durante discurso na manhã desta quinta-feira (20), na Câmara Federal, o deputado Major Fábio (Pros-PB), defendeu a votação do segundo turno da PEC 300 antes do início da Copa do Mundo. Ele disse que essa é a expectativa dos profissionais de segurança pública de todo o Brasil. O deputado apresentou mais um requerimento solicitando a votação da PEC.

-Ontem, talvez o centésimo requerimento para votação da PEC 300, em segundo turno. É impossível que esta Casa, depois de ter votado e aprovado, por unanimidade, o piso nacional dos policiais, não consiga ter coragem de discutir de novo o piso nacional, defendeu o Major.

Ele lembrou ainda que piso nacional foi promessa de campanha da presidenta Dilma Rousseff. “Digo isso de posse de seu programa governo, assinado, reconhecido firma e entregue no TSE”.

Por fim ele reafirmou que é preciso votar a PEC 300 antes da Copa. “Então, faço essa cobrança não só a esta Casa, mas à presidenta da República. Precisamos, antes da Copa do Mundo, aprovar um piso nacional para os policiais brasileiros”, concluiu.

Clique aqui e Veja o vídeo:

Fonte: http://www.policialbr.com/pec-300-antes-da-copa-mundo/#ixzz2txULnaQj

Pedro Taques pede isonomia para promoção de militares.

taques_16

O senador Pedro Taques (PDT-MT) cobrou do governo federal medidas para estender aos militares inativos do quadro especial do Exército os benefícios de promoção assegurados aos terceiros-sargentos, cabos, taifeiros e soldados ativos por lei sancionada em 2013. No pronunciamento feito nesta terça-feira (19.02), o parlamentar observou que recebeu este pleito da Associação Família Militar de Mato Grosso, a Famil.

Ele sugeriu que a presidente da República, Dilma Rousseff, edite medida provisória para corrigir o que ele classificou de injustiça, já que militares ocupantes do mesmo posto são tratados de forma desigual. Lembrou que os militares inativos e os pensionistas do exército foram excluídos de três leis: a 12.872/13; a lei 3.953 que possibilitou a promoção dos militares taifeiros da marinha e da aeronáutica; e a lei 12.158 de 2009 que deu a efetiva promoção aos militares da aeronáutica, ativos e inativos.

“O Quadro Especial foi punido com a não promoção pelo simples fato de adentrarem ao Exército antes daqueles que hoje estão na ativa; muitos dos quais foram seus subordinados e agora serão seus superiores hierárquicos em uma inexplicável inversão de valores”, salientou.

Pedro Taques lembrou ainda que o tratamento igualitário já é assegurado aos militares da Marinha e da Aeronáutica e, por isso, não faz sentido que os do Exército não sejam contemplados.

“Mais uma vez, repito: o tratamento dispensado a esse grupo afronta o princípio constitucional do tratamento igualitário previsto no artigo quinto da Constituição”, concluiu

COBRAPOL consegue estender discussão sobre o direito de greve.

 DESABAFO DE UM POLICIAL: Segurança Pública. - Uma questão de respeito. 

     Em audiência pública no Senado Federal hoje (20/02), que tratou do anteprojeto que visa regulamentar o direito de greve dos servidores públicos, o presidente da COBRAPOL, Jânio Bosco Gandra, e o diretor de Relações Sindicais da Confederação, Jales Moreira (presidente do SINSEPOL-Rondônia) arrancaram do senador Romero Jucá (PMDB-RR), relator da matéria na Comissão Mista de Consolidação de Leis e de Dispositivos Constitucionais (CMCLF) do Congresso Nacional, o compromisso de ouvir as lideranças dos policiais para discutir a manutenção do porte de arma da categoria durante movimento grevista.

Gandra se responsabilizou a agendar a reunião com as lideranças dos policiais federais e militares, já que a Confederação representa os policiais civis de todo o País. Na segunda-feira (24/02), a COBRAPOL inicia os contatos com as entidades para agendar a reunião com Jucá. O anteprojeto em discussão no Congresso Nacional determina que o policial civil para participar de manifestações deve deixar suas armas com o delegado e que somente 20% da categoria pode entrar em greve, devendo os 80% restantes permanecerem trabalhando.

A COBRAPOL defende que o policial permaneça com o porte de arma durante o período em que estiver de greve, visto que esta é uma prerrogativa da profissão. “Retirar a arma do policial é totalmente desnecessário, visto que até hoje não houve nenhuma ocorrência de violência dos policiais grevistas durante qualquer manifestação. Os próprios sindicalistas recolhem as armas ou os policiais as deixam guardadas para participar das atividades sindicais”, explica Gandra. Sobre o percentual de servidores que devem permanecer no trabalho durante a greve, a Confederação defende a manutenção dos 30% previstos na Lei 7783/89 (que rege a greve dos trabalhadores celetistas).

Após a intervenção da COBRAPOL, os representantes de algumas centrais sindicais também defenderam a posição dos policiais no que se refere ao porte de arma para grevistas. Flávio Werneck Meneguelli, da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), ligada ao quadro da Polícia Federal, afirmou ser impossível suspender o porte de servidores que trabalham armados. “Se isso for aprovado, quem vai agradecer é só o crime organizado. Imagine que esses servidores estão aglomerados durante o movimento grevista e dali saem desarmados. Temos ciência de que hoje um policial tem preço. Os policiais federais em 2012 estiveram em greve por 72 dias. Imagine se estivessem com o porte suspenso?”, afirmou.

Vale lembrar que o projeto seria votado no final do ano passado sem discussão com os trabalhadores. Mas, graças à intervenção da COBRAPOL, que em conjunto com representantes da Federação Nacional dos Policiais Federais (FENAPEF) e da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FENAPRF), se reuniu com o senador Jucá em 17 de dezembro, e conseguiu que a audiência pública fosse agendada e a votação do texto transferida para 2014.

Por Giselle do Valle, com informações da Agência Senado
Fonte: Imprensa COBRAPOL

DF: Governo reajusta benefícios para PMs e salário do soldado vai para R$ 7,1 mil

1150879_341768345956185_1500644303_n

O governador Agnelo Queiroz assinou, na noite de hoje, dois decretos que estabelecem os novos valores para os auxílios alimentação e moradia dos policiais e bombeiros militares do Distrito Federal, da ativa e aposentados. Os decretos serão publicados no Diário Oficial do DF desta quarta-feira (19).

Para o auxílio-alimentação, o valor previsto é de R$ 850 a partir de 1° de maio deste ano.

Já para o auxílio-moradia, o pagamento será feito em três etapas, sempre no mês de setembro. A primeira será paga ainda neste ano, e as outras duas em 2015 e 2016, conforme a tabela abaixo.

Com os reajustes concedidos, ao final de 2016, um coronel, com dependente, terá remuneração total de R$ 21.721,13 ( aumento de 20,24%), um subtenente, R$ 12.104,90 (20,48%), enquanto um soldado receberá R$ 7.190,98 (21,66%). Os valores não incluem os anuênios.

O governo aguarda a proposta de reestruturação da carreira militar que será acordada entre o comando das corporações e o Fórum de Associações.

PEC 300 JÁ!

1602181_594381727312022_239007518_o
Estamos organizando um calendário para reivindicarmos com força total a votação em 2.º turno da PEC 300.

Vamos combinar uma data para que todos os policiais e bombeiros militares estejam em Brasília, e só saiam quando a matéria for votada definitivamente.

É agora ou nunca.

Será no início de abril.

Estamos avisando logo para que todos se organizem desde já.

“A nossa intenção é mobilizar para exigir a votação de projetos importantes que tramitam no Congresso Nacional, assim como um melhor planejamento por parte do governo federal para as questões relacionadas ao setor”, ressaltou o deputado Mendonça Prado (DEM-SE), um dos principais defensores da PEC 300.

Foto: Luciana Botto

1000867_346564012142573_400718821_n