Inscrições para concurso da Polícia Civil no Tocantins estão abertas.

970109_614817068600581_297432933_n

O prazo começou na segunda-feira (10) e termina no dia 9 de abril.

São 515 vagas entre cargos de provimento imediato e cadastro de reserva.

Os interessados em concorrer a uma vaga no concurso da Polícia Civil do Tocantins podem fazer as inscrições a partir desta segunda-feira (10). O prazo termina no dia 9 de abril. As inscrições são feitas no site da Fundação Aroeira, responsável pelo certame. Ao todo, são 515 vagas entre cargos de provimento imediato e cadastro de reserva que abrangem as carreiras de delegado, agente, escrivão, papiloscopista, agente de necrotomia, perito legal e médico legista. As provas objetivas estão previstas para três datas diferentes: 25 de maio para delegado, 1º e 8 de junho para os demais cargos.

Para o cargo de delegado, o valor da taxa de inscrição é R$ 160. Já para os demais cargos, o valor é de R$ 150. A organizadora do concurso aconselha que os candidatos, antes de fazerem as inscrições, façam um cadastro no site da empresa para facilitar no processo de inscrição. Segundo o coordenador geral do concurso, o professor Ronaldo Pinheiro, em torno de 5 mil pessoas já fizeram o cadastro no site.

Para os cargos de agente, escrivão, papiloscopista e agente de necrotomia, os candidatos poderão escolher onde realizarão a prova objetiva. As cidades definidas no edital são Palmas, Araguaína, Gurupi, Tocantinópolis ou Augustinópolis. Para os demais cargos, as provas serão realizadas somente em Palmas

Ao todo, foram disponibilizadas 515 vagas para provimento imediato e cadastro de reservas. Das 397 vagas previstas para provimento imediato, 97 são para delegado, 38 para agente, 162 para escrivão, 20 para auxiliar de autópsia, 10 para papiloscopista, 10 para médico legista e 60 para perito criminal.

A polícia indefesa;

1150879_341768345956185_1500644303_n

Qual o “produto” da polícia? Liberdade dentro da lei, segurança, enfim, a civilização.

A POLÍCIA é uma das classes que sofrem maior injustiça por parte da sociedade. Lançamos sobre ela a suspeita de ser um parente próximo dos bandidos. Isso é tão errado quanto julgar negros inferiores pela cor ou gays doentes pela sua orientação sexual.

Não, não estou negando todo tipo de mazela que afeta a polícia nem fazendo apologia da repressão como pensará o caro inteligentinho de plantão. Aliás, proponho que hoje ele vá brincar no parque, leve preferivelmente um livro do fanático Foucault para a caixa de areia.

Partilho do mal-estar típico quando na presença de policiais devido ao monopólio legítimo da violência que eles possuem. Um sentimento de opressão marca nossa relação com a polícia. Mas aqui devemos ir além do senso comum.

Acompanhamos a agonia da Bahia e sua greve da Polícia Militar, que corre o risco de se alastrar por outros Estados. Sem dúvida, o governador da Bahia tem razão ao dizer que a liderança do movimento se excedeu. A polícia não pode agir dessa forma (fazer reféns, fechar o centro administrativo).

A lei diz que a PM é serviço público militar e, por isso, não pode fazer greve. O que está corretíssimo. Mas não vejo ninguém da “inteligência” ou dos setores organizados da sociedade civil se perguntar por que se reclama tanto dos maus salários dos professores (o que também é verdade) e não se reclama da mesma forma veemente dos maus salários da polícia. É como se tacitamente considerássemos a polícia menos “cidadã” do que nós outros.

Quando tem algum problema como esse da greve na Bahia, fala-se “mas o problema é que a polícia ganha mal”, mas não vejo nenhum movimento de “repúdio” ao descaso com o qual se trata a classe policial entre nós. Sempre tem alguém para defender drogados, bandidos e invasores da terra alheia, mas não aparece ninguém (nem os artistas da Bahia tampouco) para defender a polícia dos maus-tratos que recebe da sociedade.

A polícia é uma função tão nobre quanto médico e professor. Policial tem mulher, marido, filho, adoece como você e eu.

Não há sociedade civilizada sem a polícia. Ela guarda o sono, mantém a liberdade, assegura a Justiça dentro da lei, sustenta a democracia. Ignorante é todo aquele que pensa que a polícia seja inimiga da democracia.

Na realidade, ela pode ser mais amiga da democracia do que muita gente que diz amar a democracia, mas adora uma quebradeira e uma violência demagógica.

Sei bem que os inteligentinhos que não foram brincar no parque (são uns desobedientes) vão dizer que estou fazendo uma imagem idealizada da polícia.

Não estou. Estou apenas dando uma explicação da função social da polícia na manutenção da democracia e da civilização.

Pena que as ciências humanas não se ocupem da polícia como objeto do “bem”. Pelo contrário, reafirmam a ignorância e o preconceito que temos contra os policiais relacionando-a apenas com “aparelhos repressivos” e não com “aparelhos constitutivos” do convívio civilizado socialmente sustentável.

Há sim corrupção, mas a corrupção, além de ser um dado da natureza humana, é também fruto dos maus salários e do descaso social com relação à polícia, além da proximidade física e psicológica com o crime.

Se a polícia se corrompe (privatiza sua função de manutenção da ordem via “caixinhas”) e professores, não, não é porque professores são incorruptíveis, mas simplesmente porque o “produto” que a polícia entrega para a sociedade é mais concretamente e imediatamente urgente do que a educação.

Com isso não estou dizendo que a educação, minha área primeira de atuação, não seja urgente, mas a falta dela demora mais a ser sentida do que a da polícia, daí “paga-se caixinha para o policial”, do contrário roubam sua padaria, sua loja, sua casa, sua escola, seu filho, sua mulher, sua vida.

Qual o “produto” da polícia? De novo: liberdade dentro da lei, segurança, a possibilidade de você andar na rua, trabalhar, ir ao cinema, jantar fora, dormir, não ser morto, viver em democracia, enfim, a civilização.

Defendem-se drogado, bandido, criminoso. É hora de cuidarmos da nossa polícia.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrada/25528-a-policia-indefesa.shtml

IFMT juntamente com a Sesp e Secitec ofertarão o Curso Superior de Tecnologia em Segurança Pública, na modalidade a distância.

Capturar

O Instituto Federal de Mato Grosso juntamente com a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) e a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Secitec) irão ofertar o Curso Superior de Tecnologia em Segurança Pública, na modalidade a distância. Serão ofertadas 400 vagas, para os profissionais da carreira da segurança pública (Polícia Militar, Bombeiros Militar e Polícia Judiciária Civil). A abertura das inscrições para o processo seletivo está prevista para começar na 1º quinzena de abril e as aulas estão previstas para iniciarem no início de maio.

Os representantes da Pró-Reitoria de Ensino, do Campus Cuiabá, da Secretaria de Segurança Pública no estado de Mato Grosso e da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia se reuniram na manhã desta sexta-feira, dia 28 de março, para definir os detalhes para a realização do curso. S

O Curso Superior de Tecnologia em Segurança Pública, na modalidade a distância, tem o objetivo de qualificar os profissionais tecnólogos de nível superior para atuarem  nas áreas de política, gestão, planejamento e técnicas operacionais no âmbito do sistema de segurança pública, fundamentado nos princípios da cidadania, dos direitos humanos e da cultura da paz, em relação às atividades de prevenção e enfrentamento de conflitos contemporâneos da sociedade.

Segundo o Pró-Reitor de Ensino, Ghilson Ramalho, o curso utilizará a estrutura da Secitec para ofertar o ensino à distância, devido à possibilidade de atender os profissionais da carreira da segurança pública que estão localizados em todos os municípios do estado.

O curso deve enfatizar, considerando as diversas possibilidades de atuação profissional, uma ou mais atividades da área de segurança pública relacionadas a: segurança e ordem pública, segurança comunitária, defesa civil, política técnico-científica e polícia administrativa.

O presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos, Luciano Esteves Correa da Costa, salientou que o curso irá nivelar todo o efetivo da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros que irão sair do nível médio para o nível superior. Além disso, ao final do curso o efetivo que estiver cursando será agraciado com o primeiro posto do oficialato.

“O curso tecnólogo vai melhorar o atendimento ao público que é a área fim do policiamento e quem vai colher os resultados é a sociedade com policiais mais bem preparados”, destacou Luciano Esteves Correa da Costa.

A realização desse curso ocorre por meio da celebração do Termo de Convênio/Cooperação Técnica nº001/201 entre o Instituto Federal de Mato Grosso, a Secretaria de Segurança Pública e a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia, que tem por objetivo estabelecer e regulamentar um programa de cooperação técnica, pedagógica e científica entre os particípes, visando a oferta de cursos técnicos de nível médio (subsequentes), Cursos Superiores de Tecnologia, Bacharelados e ações na área de educação, ciência, tecnologia, pesquisa, extensão, prestação de serviços públicos ou de atuação e interesses comuns.

 

 

Fonte: Ascom/Reitoria/IFMT

Governo de São Paulo vai pagar “bico” para PMs a partir de abril. R$20,00 por hora trabalhada.

14086239

A Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Militar, de cerca de R$ 20 por hora, será paga para policiais que atuarem em cidades que hoje não têm condições de arcar com os custos do bico oficial.

Segundo o secretário da Segurança Pública, Fernando Grella, a diária será paga, inicialmente, a mil policiais por dia. Para ele, a medida tem como vantagens a velocidade de implantação, comparada ao tempo que se leva para formar novos policiais, e o aumento de segurança. A PM tem hoje cerca de 100 mil policiais em todo o Estado.

Ainda não foram definidas as cidades que serão chamadas para firmar parceria com o governo. Segundo o secretário, estudos técnicos com a polícia militar estão sendo feitos para determinar que locais serão beneficiados com o aporte de recursos estaduais. “Pode ser capital, alguma parte da Grande SP. Nós vamos dar prioridade às áreas mais críticas”, disse.

“Essa é uma forma que nós encontramos para aumentar o número de policiais [em circulação nas ruas]. Mesmo se nós quiséssemos formar 5.000 por ano, não temos condições. O bico é uma realidade em todo o país, então por que não permitir que ele o faça com todas as garantias? Temos um grande número de policiais que estão morrendo em bicos não oficiais, sem estarem fardados, expostos”, disse o secretário.

“Nós fizemos a atividade delegada com 39 cidades e isso está crescendo rapidamente. Em vez de o policial fazer bico, ele trabalha na atividade delegada, armado, fardado, sob o comando da PM”, disse o governador. “Isso vai ter um custo financeiro para o Estado, mas é uma medida importante para ter mais policial na rua.”

Questionado sobre a possibilidade de os municípios deixarem de pagar a atividade delegada com a possibilidade de receberem recursos estaduais, Grella afastou esse risco e disse que segurança pública tem que ser “obra coletiva”.

“Aqueles municípios que puderem e tiverem condições, estarão beneficiando a sociedade. Nos pontos em que a atividade delegada pelas prefeituras não for possível, nós vamos fazer um esforço pra atender diretamente com recursos do Estado.”

(Folha de São Paulo).

PCCS da carreira militar é aprovada em votação histórica na AL

3352719ab2ae4fbd42c56c2771350592

O Plano de Cargo, Carreira e Salário (PCCS) da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros foi aprovado, por unanimidade, pela Assembleia Legislativa, na noite desta quarta-feira (26), com a presença de representantes das duas corporações. As três mensagens do Poder Executivo foram votadas em caráter de urgência para serem sancionadas pelo governador Silval Barbosa em tempo hábil. A pressa tem uma justificativa: por ser ano eleitoral, o Governo do Estado tem até o dia 4 de abril para sancioná-las.

Para o coronel Nerci Adriano Denardi este é um momento histórico para Mato Grosso e para a Polícia Militar. “Ficamos felizes pela valorização da PM e dos Bombeiros. É uma grande conquista para toda a categoria a aprovação da mensagem”, comemorou.

Compartilhou da mesma opinião, o presidente da Associação de Cabos e Soldados da PM e dos Bombeiros Militares de Mato Grosso, Adão Martins da Silva. “A população também ganha com a reestruturação da corporação militar. É uma conquista de todos. Um grande avanço para a classe e o mais importante: as promoções, agora, serão realizadas em caráter de merecimento apenas para coronel fechado. O restante dos postos serão por antiguidade”, destacou.

O presidente da Assembleia Legislativa, Romoaldo Júnior, falou sobre a importância da classe para garantir a segurança de Mato Grosso. “São mais de seis mil policiais e mais de 900 bombeiros que trabalham 24 horas para salvar vidas. Parabéns a toda categoria. Essa valorização é mais que merecida”, parabenizou.

Para José Riva (PSD), Mato Grosso vive um momento importante e quem ganha é todo o Estado. “Os militares vão trabalhar felizes sabendo que agora existe um Plano de Cargo, Carreira e Salário e a população ganha com profissionais mais dedicados e satisfeitos. Toda a classe merece parabéns e reconhecimento”, declarou.

O deputado Walter Rabello (PSD), que preside a Comissão de Segurança na Casa, ressalta que houve empenho por parte do governador, que ouviu toda a categoria desde soldado até o comandante no desenrolar das discussões sobre a proposta. “Esta foi a primeira vez que todas as associações se reuniram e juntas definiram o que seria melhor para a categoria”, reforçou.

Pedro Satélite (PSD) manifestou o apoio aos policiais militares que têm uma contribuição histórica ao desenvolvimento do estado.

O deputado Emanuel Pinheiro (PR) explanou que essa conquista vai estimular mais a tropa para desempenhar seu papel social.

MENSAGENS APROVADAS

A primeira foi a Mensagem 17/14 – Projeto de Lei Complementar 13/14, que fixa o efetivo da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso, e dá outras providências. Na proposta, o governo destaca que além de fixar o efetivo necessário para a instituição, o projeto vai regular como se dará a distribuição, o complemento e a ascensão funcional dos policiais militares estaduais, o que foi estabelecido através de critérios calcados em bases técnicas e operacionais, atualmente inexistentes.

A segunda Mensagem 18/13, que fixa o efetivo do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Mato Grosso, e dá outras providências.

A terceira Mensagem 76/14, dispõe sobre os critérios e as condições que asseguram aos Oficiais e Praças da ativa da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Mato Grosso a ascensão na hierarquia militar, mediante promoção, de forma seletiva, gradual e sucessiva e dá outras providências.

A aprovação das mensagens passou pela sessão vespertina realizada na manhã dessa quarta-feira (26), depois seguiu para apreciação na Comissão Especial e seguiu para votação na noite desta quarta.

Fonte: http://www.al.mt.gov.br/TNX/conteudo.php?cid=40502&sid=44

POLICIAIS MILITARES ENTRAM EM GREVE NO MARANHÃO.

pm_maranhao_greve_entra

Categoria paralisou as atividades após assembleia geral realizada na noite desta quarta-feira; os policiais estão descontentes com o reajuste de 7% no salário, que para eles representa apenas reposição de perdas inflacionárias e não um aumento real

Policiais Militares do Maranhão decidiram paralisar as atividades por tempo indeterminado após assembleia geral da categoria, realizada na noite desta quarta-feira (26). Eles já estão aquartelados no estacionamento da Câmara de Vereadores de São Luís.
A greve é motivada pelo descontentamento dos policiais militares com o reajuste de 7% no salário, implantando pelo governo estadual neste mês. De acordo com a categoria, o reajuste não significa aumento, mas apenas reposição de perdas salariais com a inflação.
O reajuste de 7% teria sido um dos pontos acordados para o fim da greve em 2011. A categoria, agora, reivindica o aumento salarial e mudanças nos critérios de promoção, jornada de trabalho entre outros pontos.
Nesta mesma quarta-feira (26), o governo do Estado homologou o resultado e nomeou 1.800 policiais militares aprovados no último concurso, realizado em 2012.
De acordo com o governo do Estado, 730 policiais foram lotados em São Luís e os demais seguem para unidades em outros municípios. (Maranhão 247)

militares

Fonte: http://www.policialbr.com/

Leia você que pensa que a PM só sabe ficar “andando” de carro.

10154191_429897953811433_1808633215_n

Li essa semana um texto interessante que faz menção a uma publicação no blog de Ronald Coelho
Neste texto o autor sugere que a PM execute em seu trabalho apenas o que está previsto no artigo 144, § 5º, da Constituição Federal:
“Às policias militares cabem a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública”.
Ele aponta para a necessidade dos policias não negligenciarem o cenário político social em que vivemos, que deixa tantos buracos abertos, devendo, pois, exercer apenas aquilo que lhes é determinado, sem pretensões de “abraçarem o mundo com as mãos”, e cita o texto do blog:
“A PM erra os erros dos outros ao fazer o serviço dos outros.”
“Faltam agentes penitenciários para custodiar presos em hospitais? Chama a PM.
Faltam agentes do Ibama para capturar uma cobra no quintal de casa? Chama a PM.
Não tem Conselho Tutelar na cidade para “conversar” com um menor? Chama a PM.
Não tem equipes de socorristas de plantão na cidade? Chama a Polícia Militar…
E se o preso fugir do hospital? Culpa da PM.
E se a cobra picar a dona de casa? Omissão da PM.(…) ”
O autor estimula o policial a cumprir seu papel como qualquer outro servidor público, executando, burocraticamente, apenas o que lhes compete.
Concordo que a sociedade exige da polícia um heroísmo, mas não a reconhece como heróica.
Mas será que, ao invés de desestimular o policial a realizar atos de heroísmo, não podemos estimular a sociedade para que reconheça esses verdadeiros heróis, que saem de suas casas para nos defender com a própria vida? Acredito ser este um dos caminhos para incentivar um debate amplo sobre a valorização do trabalho policial, que passa por melhores remunerações, estrutura, plano de carreira e etc.
Foi justamente me fazendo esta pergunta que idealizei o quadro “Heróis Reais”, na Record News ES, que só se tornou uma realidade porque os diretores Edu Henning e Carlos Tourinho apostaram no projeto, provando que, nem toda imprensa está desvinculada da “veracidade dos fatos”, e que ela pode ser uma aliada dos Guerreiros Brasileiros!

SÍNTESE DO PLANO DE CARREIRA DA PMMT remetido à PGE

1486685_692456964151086_852740276_n

As entidades representativas de classe (ACS e Assoade) permanecem empenhadas na finalização do Plano de Carreira dos Policiais e Bombeiros Militares em conjunto com o Comando das Instituições Militares Estaduais (PMMT e CBMMT) e o Secretário-Chefe da Casa Militar.

Até o presente momento ficou assim definido o plano de carreira, que após avaliação da Procuradoria Geral do Estado – PGE, ainda passará por avaliação e nova discussão entre as Associações e o Comando das Instituições Militares Estaduais:

PRINCIPAIS AVANÇOS/MUDANÇAS:

A) – Nível Superior para o ingresso como PRAÇAS na PMMT e CBMMT, em vigor a partir da publicação da nova Lei;

B) – Promoção automática gradual e sucessiva, ou seja, apenas por antiguidade do Soldado até o Subtenente;

C) – Unificação de TODOS os QUADROS DE PRAÇAS, somando todas as vagas de praças em apenas um quadro e ainda com aumento significativo do número de vagas no novo Quadro de Praças Único, conforme a seguir:
PMMT:
-Cabos e Soldados: 7.755 vagas;
-Sargentos (3º, 2º e 1º): 3.049 vagas;
-Subtenente: 360 vagas
CBMMT:
-Cabos e Soldados: 2.041 vagas;
-Sargentos (3º, 2º e 1º): 1.350 vagas;
-Subtenente: 140 vagas

D) – Promoção aos Soldados que ingressaram a partir de 2005 – Terão Progressão na Carreira com a aprovação do novo Plano de Carreira.

E) – Conversão do Decreto de promoção de Praças em LEI DE PROMOÇÃO DE OFICIAIS E PRAÇAS – com o novo Plano de Carreira.

F) – Criação do Quadro Complementar de Oficiais somente para o público interno , com exigência de nível superior para ingresso e ofertas de vagas anuais da seguinte forma:
PMMT: – 40 vagas anuais, sendo 20 para 1º sargento e subtenentes e as outras 20 para todas as demais praças;
CBMMT: – 12 vagas anuais, sendo 6 para os 1º sargento e subtenentes e as outras 6 para todos os demais praças;

G) INTERSTÍCIOS:
Soldado para Cabo: reduziu de 12 para 9 anos;
Cabo para 3º Sargento: 4 anos;
3º Sargento p/ 2º Sargento: 4 anos;
2º Sargento p/ 1º Sargento: 3 anos;
1º Sargento p/ Subtenente: 3 anos.
TOTAL= 23 anos de interstícios. (reduziu 03 (três) anos no total de interstício previsto).

H) LIMITE DE VAGAS POR DATA DE PROMOÇÃO
PMMT:
* Promoção por antiguidade:
– Soldados para Cabo: 300 soldados por data de promoção (total de 900 por ano);
– Cabos para 3º sargento: 183 Cabos por data de promoção (total de 549 por ano);
* Promoção por Mérito Intelectual à Graduação de 3º Sargento:
– Seleção interna anual para promoção a graduação de 3º SARGENTO onde concorrerão os soldados e cabos com ESTABILIDADE (40 vagas por ano).
* Demais Promoções sem limite de vagas.

CBMMT:
* Promoção por antiguidade:
– Soldados para Cabo: 100 soldados por data de promoção (total de 200 por ano);
– Cabos para 3º sargento: 90 Cabos por data de promoção (total de 180 por ano);
* Promoção por Mérito Intelectual a Graduação de 3º Sargento:
– Seleção interna anual para promoção a graduação de 3º SARGENTO onde concorrerão os soldados e cabos com ESTABILIDADE (13 vagas por ano).
* Demais Promoções sem limite de vagas.

I) – Criação da Promoção ao POSTO /GRADUAÇÃO imediata para promoção no ATO da transferência para a Reserva Remunerada, devendo o militar preencher os seguintes requisitos:
– Interstício no atual posto ou graduação;
– Possuir 25 anos ou mais de efetivo serviço na Corporação;
– Possuir 30 anos de contribuição (incluindo averbações).

A novidade nesta promoção é que além de ser destinada aos oficiais e praças no momento de sua transferência para a reserva, também será aplicada ao Subtenente, que é a ultima graduação das Praças.

Nesse caso, o Subtenente será promovido ao posto de 2º Tenente no ato de sua transferência para a reserva remunerada, desde que possua também o interstício de 03 anos na sua graduação, interstício este criado apenas para efeito desta promoção por requerimento.

Com esta conquista, o novo plano de carreira dos praças que já previa a possibilidade de promoção automática do soldado até o subtenente, agora passa a permitir também a possibilidade de qualquer praça galgar o posto de Segundo Tenente, isso também de forma automática sem realizar concurso interno, bastando apenas cumprir os interstícios e requisitos acima descritos.

Isso será possível porque, as promoções dos praças na Policia Militar e Corpo de Bombeiros Militar, com o novo plano de carreira passarão a ser de forma gradual e sucessiva, dependendo apenas de cumprir os interstícios para a ascensão a graduação superior, tendo em vista que os cursos de formação serão substituídos por estágios que terão seu ingresso também de forma automática por ordem de antiguidade.

Operação Monte Pollino: Sargento da PMMT e assessor Parlamentar,são presos entre Itapé e Corumbataí

fotos_2003173855000000

A Polícia Federal (PF) apreendeu na tarde desta quinta-feira (20) 52 peças de pasta-base para refino de cocaína e quatro veículos em sítio localizado entre o bairro rural de Itapé, em Rio Claro e o município de Corumbataí.

Na ação conjunta entre a Polícia Federal de Piracicaba e de Ribeirão Preto, os policiais detiveram um sargento da Polícia Militar do Mato Grosso, um assessor parlamentar e sua mulher.

Os acusados de tráfico serão apresentados na sede da Polícia Federal em Piracicaba e o inquérito é acompanhado pelo delegado da Polícia Federal, Vitor Hugo.

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, 20, a Operação Monte Pollino com o fim de desbaratar organização criminosa especializada no envio de cocaína sul-americana para a Europa, utilizando o Brasil como ponto de saída. 12 pessoas foram presas, sendo 10 no Brasil, 01 na Espanha e 01 na Itália. 8 estão foragidos no Brasil e no exterior.

A investigação iniciou-se em fevereiro de 2013, quando a Polícia Federal recebeu um pedido de cooperação jurídica internacional vindo da Itália, narrando a existência do esquema criminoso.

Apurou-se que uma organização criminosa brasileira adquire a droga no Peru e na Bolívia e a traz para o Brasil. Daqui, ela é embarcada em navios de carga, tendo como destino diversos portos europeus.

O grupo, composto por cidadãos brasileiros, chilenos, bolivianos e europeus, estava baseado na cidade de Santos/SP e executava todas as tarefas necessárias para a exportação da droga, desde sua aquisição, recepção no Brasil, acondicionamento e embarque em navios com destino à Europa, partindo principalmente do Porto de Santos/SP.

A droga tem como destino principal à Itália, sendo os compradores pertencentes à Máfia Ndrangheta, atuante na região da Calábria. A investigação italiana foi batizada de Operação Bongustaio e investiga os compradores da droga. Ela foi deflagrada simultaneamente com a investigação brasileira, havendo pessoas investigadas simultaneamente nos dois países.

Além de Brasil e Itália, foram cumpridos simultaneamente mandados de prisão e de busca na Espanha, Portugal, Reino Unido, Holanda, Sérvia, Montenegro e Peru, com apoio da Interpol e dos adidos da PF na Inglaterra, Itália e Espanha – policiais destacados para realizarem suas atividades no exterior. 76 policiais federais participam da ação no Brasil.

Além dos presos deste dia 20, desde o início da investigação brasileira, outras 06 pessoas foram presas
em flagrante. Foram apreendidos 1,3 toneladas de cocaína e 760 mil dólares.

Fonte: http://www.jornalcidade.net/rioclaro/seguranca/drogas/115622-PF-apreende-drogas-em-localidade-proxima-a-Rio-Claro-