PMMT expulsa soldado acusado de dar cobertura a assaltos.

1601075_615204055230535_948651173_n

A Polícia Militar expulsou mais um soldado de suas fileiras por desvio de conduta.

O militar foi acusado de das cobertura a vários assaltos praticados na Capital, em 2011.

A portaria, assinada pelo comandante-geral da PM, coronel Nerci Denadi, foi publicada no Diário Oficial que circulou na quarta-feira (17) no Estado.

Conforme a publicação, a participação do então soldad foi confirmada em pelo menos três assaltos que ocorreram em Cuiabá, na modalidade “saidinha de banco”, onde ele atuaria em dupla com um suspeito, que, inclusive, foi reconhecido pelas vítimas de três ocorrências.

De acordo com a portaria, no dia 29 de abril de 2011, por volta das 15h30, a dupla foi presa na Rua Américo Salgado, no bairro Araés, em um veículo Gol, que já estava sendo monitorado pelo Servido de Inteligência do 1º Batalhão da PM, por suspeito da prática da “saidinha de banco”.

“[…] no momento da abordagem pela guarnição, o soldado, que já estava do lado de fora do carro, abriu a porta do passageiro, pegou a arma que estava na porta do mesmo lado do passageiro, colocou-a em sua cintura e, após a apreensão do armamento, constatou-se ser um revólver marca Taurus, calibre 38 (com numeração raspada) e cinco munições intactas”, diz trecho da portaria.

O militar foi encaminhado ao antigo Centro Integrado de Segurança e Cidadania (Cisc) Oeste (no bairro Verdão), onde foi autuado em flagrante no artigo 157 do Código Penal (roubo) e artigo 16 da Lei 10.826/2003 (porte ilegal de arma – suprimir ou alterar marca, numeração ou qualquer sinal de identificação de arma de fogo ou artefato).

De acordo com a publicação, em outubro de 2011, o Conselho de Disciplina decidiu pela expulsão do militar dos quadros da corporação, a que ele recorreu.

“Contudo, foi conhecido e negado provimento, entendendo-se que o pleiteante é culpado das acusações a ele impostas, mantendo-se a sanção administrativa disciplinar de exclusão a bem da disciplina ao recorrente”, concluiu o comandante-geral, na portaria.

Punição

Cabe, agora, à Diretoria de Ensino e Instrução e Pesquisa (Deip) o recolhimento da identificação funcional, do fardamento e dos apetrechos que pertençam à Fazenda Pública Estadual e que estejam de posse do ex-soldado da PM.

O prazo para recolhimento é de até cinco dias úteis.

Se o ex-policial tiver qualquer armamento de uso pessoal, deverá ser instruído a devolvê-lo à Corregedoria Geral da PM, para cancelamento do porte e do registro de arma de fogo.

Fonte: http://midianews.com.br/conteudo.php?sid=3&cid=210404

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s