Comitê Internacional de Direitos Humanos do Policial.

dh
Encaminhado por Luciana Bildner: Segunda feira, dia 09 de Janeiro de 2017, será oficializado na Espanha, o Comitê Internacional de Direitos Humanos do Policial (sede mundial). Um fato inédito, já que até hoje não existe nenhum organismo internacional de defesa da classe policial, o qual possa denunciar e fiscalizar as injustiças vividas na segurança pública brasileira assim como valorizar o bom trabalho em prol da sociedade. Veja também: Enquanto a sociedade escolher respeitar os seus criminosos mais do que a seus defensores, serão os criminosos que definirão o nosso futuro

O ICHRFP tem como objetivo defender os direitos dos policiais e dos seus familiares, levando as questões mais relevantes ao conhecimento das Nações Unidas. O ICHRFP será presidido por um brasileiro tendo em sua diretoria policiais, advogados e jornalistas espanhóis.

“Estou convidado para ser o Advogado do Comitê Internacional dos Direitos Humanos do Policial. Sinto-me lisonjeado pelo convite daquela Diretoria, que internacionalmente tem acompanhado o meu trabalho, reconhecendo minha atuação. Estou muito feliz! Marcos Manteiga.’. Pela Segurança Pública lutarei até o fim”! Por Advogado Marcos Manteiga – Facebook.
No Brasil será oficializado no mês de março, tendo a frente uma agente federal e em sua diretoria nacional, agentes da segurança pública, profissionais jurídico e jornalistas especializados.
Anúncios

13 comentários em “Comitê Internacional de Direitos Humanos do Policial.

  1. É claro q todo País tem.sua peculiaridade,porém, o respeito as Forças Policiais tem q ser sempre e independentemente de qual lugar seja. Ñ podemos nos estender mais com burocracias e impedimentos desse ou daquele tipo ou que quer q seja.Aos Policiais de qualquer instituição q se corromper que seja provado e julgado nos termos q se aplicam,mas de forma geral,deveraem.primeiro lugar salário digno a todos,um.plano de governo para uma habitação, moradia adequada para o policial e sua familia,se casado,esposa e filhos,atentou contra a vida do Polícia,na tentativa de lesão corporal leve,média ou grave q sejam julgados no rigor da lei e se tentarem de forma a tentarem tirar a vida do Policial,seja este,Agente Penitenciário, Agente Federal,Gcm,PM,PC,Guarda Nacional,ou qualquer q seja a Instituição,a princípio de tudo Cadeia,se no momento o melhor for a reação q mate o Opressor,Agressor,o bandido.

  2. É mais que tempo da classe policial ter um órgão internacional que o represente e defenda. Chega de direitos humanos de meliantes. A última barreira é o policial. Temos que valoriza-lo. Parabéns. Milton de Souza Abreu. Cel BM RR

  3. É lógico que o órgão está em formação, mas para que mais tarde muitos não sejam e nem se achem decepcionados é preciso que se divulgue o cerne da intenção do órgão, pois ele vai atuar de maneira ex nunc ou também ex tunc, pra apurar muitas e muitas injustiças praticadas pelos tribunais de exceção instituídos, principalmente, por muitos coronéis, que de maneira esdrúxula punia seus comandados? O foco eu não sei qual é, mas vamos devagar com o andor, pois sabemos de qual material é feito o santo!!!!

  4. Sou o 3º Sgt PM MG Bento Mantovani. Isso é muito bom. Esta vindo numa boa hora, mas é preciso divulgação. Nós policiais somos aviltados todos os dias com a inversão de valores. Somos subjulgados pelo que fazemos de bom e melhor, que é garantir a ordem no país.
    ´´E lamentável um país igual ao Brasil tratar tão mal os policiais, com leis cada vez mais benevolentes aos marginais. Somos diferenciados em tudo, não ganhamos por horas extras, não ganhamos adicional noturno, periculosidade, insalubridade, temos que ser policial 24 horas por dia e onde o dever nos chamar, e agora o governo federal nos quer colocar para trabalhar por quarenta anos para ganhar 100% do salário. Isso é uma vergonha.
    Somos tão desvalorizados que o governo pouco liga para o que acontece conosco e nossas famílias, um policial morre em combate ou em razão da função e a punição que o bandido tem não é nada, fala-se que a pena para homicidio é de 12 a 30 anos, isso é uma mentira, é a coisa mais rara um marginal ser condenado a essa pena e cumprir. No máximo em oito anos ou menos sai morrendo de rir. Que país é esse que desvaloriza tanto uma classe que tenta na medida do possível garantir a ordem em conformidade com o que o Estado lhe dá? O maior exemplo de desvalorização que o governo demonstra contra nós e exatamente não nos garantir nossos direitos e ainda empurrar garganta a baixo uma lei que tira benefícios que conquistamos com suor e sangue. Senceramente, queria estar vivo para ver essa mesma policia desvalorizada pelos políticos e por boa parte da população parar por pelo o menos uma semana. Sem polícia não há governabilidade.

  5. Sou Altanir Freitas, Cel RR PMERJ, Leciono há 31 anos na APM, CFAP E ES PM. Curso de Direito, Associação internacional de magistrados de Família e de Menores, Direitos Humanos.
    Fui assessor do Governo do Estado, Superintendente e exerci várias funções de responsabilidade!
    Sou um profissional de Direitos Humanos! Gostaria de implantar esse Comitê aqui no Rio de Janeiro! O PM é sujeito de Direitos Humanos!
    Aguardo, urgente!
    Altanir Freitas

  6. Criar um projeto de Lei para implantar/ tipificar no ordenamento jurídico brasileiro a teoria da tipicidade conglobante do jurista argentino Eugenio Raúl Zaffaroni.
    Ação da polícia legítima não pode ser crime, é um paradoxo!

  7. Querido Precisamos Fazer Contato, Queremos Formar O Conselho Estadual para Policiais e Bombeiros, mas com a existencia Desse Maravilhoso e Estruturado de Vocês Precisamos Toda Orientação e até mesmo a União para Lutar pela nossa Causa.Foi Colocado familiares de PMs nas Saídas dos Quartés Não para Dar Panico a Segurança ao Estado do Rio de Janeiro.É Que Estamos Cansados de Ver, é um pai, Marido ou Filho Policial Trocar sua Vida Por Sangue e Voltar Pior de que Quando Saiu de Sua Casa.Em casa ele fica longe do convívio Pesado que ele trabalha onde ele psicologimante fica abalado com trabalho Sistemático que Mete e Causa Pânico nele mas Dentro doque Fora do Trabalho,por Causa de Um Regulamento que espõe ele como um Servidor Público Merecedor de sua função porque assim ele Estudou,e tratam do Soldado até ao Suboficial dos rapazes até Senhores, como um milíco de serviço militar obrigatório.Isso Tem que Parar, isso tem que acabar, o mal não pode vencer o bem, e não vai Vencer o Bem!

  8. COMUNICADO

    Como presidente fundador do Comitê Internacional de Direitos Humanos para Policiais, com sede na Espanha, e, em breve, filial no Brasil, venho por este canal, comunicar que o senhor Marcos Manteiga, advogado no Estado de São Paulo, NAO INTEGRA qualquer diretoria desta entidade, muito menos a jurídica. Tal advogado, figura apenas como membro do nosso grupo de Whatapp.

    No entanto, nossso grupo de Whatsapp e página oficial do Comitê no Facebook, tem como membros e seguidores os profissionais da segurança pública, jurídicos, imprensa, dentre outros entusiastas e amantes do DDH que querem acompanhar o desenvolvimento do trabalho inédito que será desenvolvido pela nossa equipe em prol dos policiais e seus familiares.

    Ressalto também, que nosso trabalho será SEM FINS LUCRATIVOS, com o intutito de transformar nossa sociedade em um mundo melhor, valorizar quem nos serve e proteger e unir forças entre o povo e a polícia .

    Segue abaixo os responsáveis por responder pela entidade no Brasil e autorizados a fazerem quaisquer publicações oficiais sobre a estruturação do Comitê Internacional de Direitos Humanos do Policial – ICHRFP BRASIL

    Lilia Vogel, Agente Federal e Presidente Nacional
    Luiz Guilherme, Policial Civil do Estado de São Paulo e Vice-Presidente Nacional
    Luiz Mollo Junior, vice-Presidente Nacional
    Dra Márcia Toledo, Diretora Jurídica Nacional

    Qualquer declaração/publicação que não leve a assinatura do presidente mundial ou dos membros acima, não deverá ser levado em consideração e pedimos a gentileza de comunicarem tal ocorrência a este Comitê imediatamente para providências cabíveis.

    Alex Diaz
    Presidente Fundador do ICHRFP

  9. Esse é um novo despertar !! É o exercício da democracia alcançando Policias, Enxergando como cidadão, pagador de impostos,membro incluso na Constituição. Do jeito que hoje está,o policial não é igual , é excluído da Carta Magna, recluso de interesses de governadores que fazem do seu policial, o servidor do início do século 19. Chega de escravidão, de perseguição , está na hora do policial ser visto como cidadão.

  10. No rio de janeiro policial não é ser humano! Se for preso espera ad eterno por audiências. Sentenças. O pior já entra perdendo de 1000 o onus da prova se inverte. Muita covardia e deslealdade. Crueldade. Meu marido esta preso a quase três anos e não é julgado. Não tem provas mas mantenha o castigo. Deus abençoe o estado do Rio de Janeiro. Mais vale o policial combatente preso que a justiça o absolver e acabar com isso.

  11. Se possível mandem um representante nos locais onde policiais presos estão custodiados no rio de janeiro. Como a casa de custódia Constantino cokotos e bep em niteroi. Que vcs vão ver o que é desrespeito à direitos humanos e a constituição federal! !!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s