Capitão da PM baiana desvenda significados de tatuagens no mundo do crime

pm-baiano-desvenda-significados-de-tatuagens-no-mundo-do-crime-1422489675024_615x300

Estudo levantou 50 mil documentos e fotos em presídios e delegacias, institutos médicos legais, jornais, revistas e redes sociais, além de raras entrevistas com detentos

Palhaços, índias, magos, caveiras, bruxos, serpentes, polvos, aranhas, peixes, anjos, santos e demônios são figuras comuns nos presídios brasileiros.

Há pelo menos 10 anos, o capitão da Polícia Militar baiana Alden dos Santos se dedica a traduzir os significados destas e outras imagens desenhadas nos corpos de presos e suspeitos de crimes no Brasil e no exterior. Seu estudo sobre os significados das tatuagens gerou uma cartilha, adotada oficialmente como apoio a investigações pela PM da Bahia.

“Foram detalhados os significados de 36 imagens associadas a crimes específicos”, diz o capitão. “Muitas delas, além de se repetirem em todo o país, aparecem nos mesmos padrões em países como Estados Unidos, Rússia e locais na Europa.”

Além de símbolos mais conhecidos, como palhaços [associados a roubo e morte de policiais], magos ou duendes [comuns entre traficantes], a pesquisa identificou recorrência inusitada de personagens infantis, como o “Diabo da Tasmânia”, o “Papa-léguas” e o “Saci-Pererê”.

O primeiro sugeriria envolvimento com furto ou roubo, principalmente arrastões. Já o Papa-léguas –ou sua variação mais comum, o “Ligeirinho”– indicaria criminosos que usam motocicletas para o transporte de drogas.

O Saci também teria relação com o tráfico: seus portadores seriam responsáveis pelo preparo e distribuição dos entorpecentes.

Foi pelas redes sociais que a pesquisa de Alden encontrou popularidade: mais de 5.000 pessoas acompanham suas postagens no Facebook sobre supostas conexões entre crimes e tatuagens, além de casos policiais não registrados pela grande mídia.

Pelo YouTube, os vídeos publicados pelo PM já foram vistos mais de 600 mil vezes. O resultado final do estudo já foi baixado pela internet por mais de um milhão de pessoas.

Estigmatização?

Aproximadamente 50 mil documentos e fotos foram coletados pelo PM: eles vêm de presídios e delegacias, institutos médicos legais, jornais, revistas e redes sociais –tudo isso somado a raras entrevistas com detentos de prisões baianas.

“As principais informações infelizmente não vieram dos presos em si. Há um forte código de silêncio. As conclusões vieram mais pelo cruzamento de dados”, diz. Ele explica: “Levantamos, por exemplo, todos os presos que tinham tatuagem do Coringa e cruzamos com suas sentenças. Havia um padrão claro em seus delitos.”

O padrão, segundo o militar, indica “roubo e envolvimento com morte de policiais”.

“Portadores desta tatuagem demonstram frieza e desprezo pela própria vida”, explica o PM. “A maioria parece absorver as características deste personagem –insano, sarcástico, vida louca. Normalmente não se entregam fácil e partem para a violência.”

Questionado sobre a estigmatização que a pesquisa poderia provocar sobre quem tem imagens pelo corpo, o policial militar diz deixar claro que cidadãos “nunca poderão ser abordados somente por apresentarem tatuagens descritas na cartilha”.

“Nosso objetivo não é discriminar pessoas tatuadas, isso seria discriminar o próprio ser humano, que há muito tempo usa tatuagens como forma de expressão”, diz o capitão Alden.

Ele diz que, para policiais, a importância do estudo é ajudar o policial a salvaguardar sua integridade física, no caso de tatuagens ligadas a mortes de oficiais.

“Elas também funcionam como mais uma ferramenta para facilitar o trabalho de reconhecimento de suspeitos”, diz, citando as imagens de carpas –estes peixes são frequentemente associados à facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

Códigos

Além das imagens figurativas, elementos gráficos, como pontos tatuados nas mãos, também seriam indícios de crimes, segundo o pesquisador.

Um só ponto preto indicaria “batedores de carteira”. Dois, na vertical, sugerem estupro. Três pontos, em formato de pirâmide, apontam relação com entorpecentes.

O oficial não teme que a divulgação dos símbolos iniba que a exibição ou confecção de novas tatuagens suspeitas.

“A existência desse material não fará com que as facções alterem seus códigos”, diz Alden ao #salasocial. “Por incrível que pareça, em vez de os suspeitos deixarem de usar a imagem que os associam à prática de determinado crime, o que percebemos é a lógica inversa: quanto mais se tem consciência de que a polícia conhece, mas frequentes são as imagens, como uma espécie de desafio.”

Segundo o PM, a tendência não se limita ao Brasil.

“O palhaço, com o mesmo significado, é muito comum também na máfia russa, no México, nos Estados Unidos, em Porto Rico. O mesmo ocorre com a índia (mulher cabelos negros e longos, que já serviu para indicar quem tinha autorização do tráfico para portar fuzis, hoje mais associada à prática de roubos).

pm-baiano-desvenda-significados-de-tatuagens-no-mundo-do-crime-1422489765286_615x300

Anúncios

Abertas as inscrições para os 71 cursos de segurança pública da Rede EAD

10947281_528282647314317_2186770507468932147_n

Brasília, 27/1/15 – Estão abertas as inscrições para os 71 cursos da Rede Nacional de Educação a Distância para Segurança Pública (Rede EAD). O prazo vai de 27 de janeiro a 2 de fevereiro de 2015.

A Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp/MJ) oferece capacitações gratuitas para profissionais da Polícia Civil, Polícia Militar, Bombeiro Militar, órgão de Perícia Criminal, Guarda Municipal, Policia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Sistema Prisional de todo o país. Há cerca de 200 mil vagas.

Para a inscrição é necessário acessar o endereço https://ead.senasp.gov.br. As matrículas serão homologadas após comprovação do vínculo funcional junto às instituições dos profissionais. Cada aluno pode fazer até dois cursos.

“Prestes a completar 10 anos, essa ação do Ministério da Justiça visa a capacitação continuada dos profissionais da segurança pública, independentemente das limitações geográficas, sempre considerando as peculiaridades institucionais existentes”, afirma a secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki.

Cursos inéditos
Dois cursos são inéditos: o de Necropapiloscopia e o de Prevenção e Enfrentamento à Tortura. Outros três são ofertados em versão atualizada. São os de Investigação Criminal 1, Análise Criminal 1 e Uso da Informação em Segurança Pública.

As aulas deste 33º ciclo de capacitação da Rede EAD Senasp/MJ ocorrerão no período de 3 de março a 7 de abril para as capacitações com carga de 40 horas. Os cursos com 60 horas começam na mesma data, mas terminam no dia 22 de abril.

A realização de cursos da Rede EAD é fruto de acordos de cooperação federativa celebrados entre o Ministério da Justiça, por intermédio da Senasp, e os governos estaduais e municipais, por intermédio das Secretarias de Estado de Segurança Pública e Prefeituras.

Para tirar dúvidas o candidato pode enviar um email para ead.senasp@mj.gov.br

Ministério da Justiça
facebook.com/JusticaGovBr
flickr.com/JusticaGovbr
www.justica.gov.br
imprensa@mj.gov.br

(61) 2025-3135/3315

Diretorias da ANASPRA, FENEME e AMEBRASIL debatem pauta conjunta em defesa das PMs/BMs do Brasil.

Diretores da Associação Nacional de Entidade de Praças (ANASPRA), da Federação Nacional de Entidades de Oficiais Militares (FENEME) e da Associação dos Militares Estaduais do Brasil (AMEBRASIL) se reuniram em Brasília para discutir ações comuns em defesa dos Policiais e dos Bombeiros Militares.

A reunião foi realizada no final da tarde de segunda-feira (19/01) e o pode-se dizer que foi uma ação inédita entre os dois segmentos de entidades de representação nacional (Praças e Oficiais).

477

O objetivo da reunião foi integrar os discursos e as ações em defesa dos Policiais e Bombeiros Militares do país. “vai vir chumbo grosso para cima dos militares, por isso, queremos fazer uma parceria, apesar das dificuldades entre os dois segmentos”, explicou o soldado Elisandro Lotin de Souza, presidente da ANASPRA. “Tem assuntos que afetam a todos e tem coisas que podemos trabalhar juntos”, concordou o coronel Marlon Teza, presidente da FENEME.

O Deputado Federal eleito e ex-diretor da ANASPRA, Subtenente Gonzaga (PDT/MG) também afirmou que é possível ter uma agenda em comum e pontos de convergência. Por isso, ficou acordado que os diretores das entidades vão atuar em agendas defensivas, como a manutenção da previdência dos militares, e em agendas proativas, como a instituição da lei orgânica dos militares e o fim da prisão disciplinar.

As entidades pretendem também acompanhar o trabalho dos oito deputados militares eleitos, além de buscar espaço, apoio e influência entre os demais parlamentares nas comissões de trabalho da Câmara dos Deputados e do Senado Federal.

Como encaminhamento, apresentado pelo deputado Subtenente Gonzaga, ficou definida a constituição de uma frente parlamentar em defesa da segurança pública e dos trabalhadores da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar.

Fonte: Alexandre Silva Brandão – jornalista da ANASPRA

Taques garante aumento do efetivo e equipamentos na troca de comando.

ANDRÉA HADDAD E DANA CAMPOS
Redação/Secom-MT/PM-MT
10923247_906854232688535_3802586075259600688_n
 Com a garantia de aumento do efetivo e condições de trabalho, o governador Pedro Taques empossou o coronel Zaqueu Barbosa no comando-geral da Polícia Militar de Mato Grosso em substituição ao coronel Nerci Adriano Denardi. “Tenho a responsabilidade de fazer com que a Polícia Militar tenha condições de proteger os cidadãos brasileiros que aqui residem”, frisou Taques. A solenidade foi realizada na noite da sexta-feira (23.01) no Comando Geral da PM, na Avenida Rubens de Mendonça, em Cuiabá.
Nascido em Mimoso, distrito de Santo Antônio do Leverger, Zaqueu conta com a experiência de 22 anos na Polícia Militar. Já comandou a extinta Companhia Independente de Operações Especiais, hoje Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), o Grupo Especial de Fronteira (Gefron) e o Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado (Gaeco). “Considero uma honra dar posse a um filho de tropeiros, nascido em Mimoso, no Comando Geral da Polícia Militar”, destacou Taques. O governador iniciou o discurso cumprimentando o pai de Zaqueu, emocionado com a posse do filho.
Durante o discurso, Taques disse que a Polícia Militar precisa de, no mínimo, mais cinco mil integrantes e condições dignas de trabalho. “Policiais Militares dão vidas para salvar vidas. Precisam sentir orgulho disso ao vestir a farda pela manhã. Devemos a nossa vida a eles”. O governador garantiu mais investimentos em segurança. Segundo ele, mais da metade dos coletes salva vidas do Estado estão vencidos. “Falei para o secretário de Estado de Fazenda não economizar neste setor. As polícias Militar e Civil e o Corpo de Bombeiros são prioridade. Isso significa mais efetivo e equipamentos. O Estado tem o dever de proteger o cidadão”.
Ao frisar a importância de valorização do policial militar, Taques disse que nunca pediu a um dos policiais de sua segurança pessoal para fazer um trabalho que não fosse atribuição deles. “Tenho escolta policial desde 2001 e nunca pedi para um policial militar ir a um banco pagar uma conta. Quero dizer aos policiais militares da academia: nós daremos condições de trabalho para vocês exercerem suas funções”.
Emocionado na despedida, Denardi elogiou a escolha do governador para o comando-geral. “O Zaqueu é um excelente policial. Trabalha com disciplina e ética. Fomos colegas de turma, é um grande amigo. Tenho certeza de que fará um excelente trabalho”.
Zaqueu assegurou a valorização dos policiais militares. “Temos a grande responsabilidade de comandar estes abnegados policiais que muitas vezes prestam serviço em número reduzido nos rincões de Mato Grosso. Em muitas cidades só há dois policiais e eles dão a vida pelo serviço. A estes policiais vou me dedicar 24 horas por dias”. O novo comandante-geral também tem a missão de reduzir os índices de criminalidade. “Estamos nos desdobrando para fazer este enfrentamento”. Ele destacou que segurança pública não se faz apenas com policiamento. “Se faz com saúde pública, educação, enfim, temos que trabalhar em conjunto com as demais secretarias”.
A solenidade de troca de comando foi marcada por apresentações dos integrantes do Comando Regional I, formandos da Academia Costa Verde, Bope, Gefron, Polícia Ambiental, cavalaria e pelo sobrevoo do helicóptero da corporação.
Zaqueu – Filho do casal Carlos Barbosa e Benedita de Arruda Barbosa (in memorian), o novo comandante-geral da Polícia Militar entrou para a corporação em um concurso público voltado para integrantes do Exército Brasileiro, de todo o país, que desejassem ingressar na PM. Zaqueu obteve, ao longo de 22 anos de serviços prestados, experiência em áreas de comando operacional, administrativo e político. Em 1994, foi subcomandante da Companhia Independente de Operações Especiais. Cinco anos depois, torna-se o comandante da unidade, hoje Bope. Ele permaneceu no posto por quatro anos. Em seguida, Zaques foi convidado a chefiar o Grupo Especial de Fronteira (Gefron), onde atuou até 2006, ano em que assumiu o comando do Policiamento Rodoviário (CPRv), atual Batalhão de Trânsito Urbano e Rodoviário (BPMTran). No mesmo ano, recebeu o convite para assumir a coordenadoria do Gaeco, onde ficou até abril de 2008, mês em que assumiu a Secretaria Adjunta de Justiça, à época vinculada à Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). Após dois anos de ações políticas e administrativas de comando, o coronel foi convidado a retornar ao trabalho operacional e, em abril de 2010, assumiu o Comando Regional de Cuiabá (CR I). No ano seguinte tornou-se diretor da Agência Central de Inteligência (Daci) da instituição. Em 2012 passou a ser o subchefe do Estado Maior da PM até assumir o Comando Geral da Polícia Militar em 23 de janeiro de 2015.

Assoade e associações levam suas reivindicações ao secretario Mauro Zaque

10929151_500787360064474_1105563491353742092_n

Assoade e associações levam suas reivindicações a Mauro Zaque

As associações representativas dos policiais militares e bombeiros de Mato Grosso fizeram nesta terça-feira (20) uma visita de cortesia ao novo secretario de Segurança Publica do Estado, promotor Mauro Zaque. Participaram da reunião os presidentes das associações de Cabos e Soldados, Cabo PM Adão Martins, de Sargentos e Subtenentes, Subtenente PM Luciano Esteves Correa Costa e, representando a diretoria da Associação dos Oficiais, o Major PM Querubino Soares.

Abrindo a reunião, o presidente da Assoade, o subtenente Luciano Esteves, falou em nome dos associados. “Estamos aqui representando a ponta do trabalho militar em nosso Estado e, por termos a segurança pública como uma prioridade, viemos dizer que estamos prontos para contribuir com os planos desta nova gestão”, afirmou Esteves.

O encontro serviu para estabelecer uma mesa de negociações permanente entre as associações e a secretaria. O promotor Mauro Zaque apresentou planos que já traçou para as forças militares e, dentro dos princípios de Integração, Regionalização e Gestão por Resultados, pregados pelo governador Pedro Taques como pilares de seu governo, pediu o apoio das associações.

O subtenente Esteves e demais representantes apontaram a urgente necessidade de solução para questões como: Regularização do pagamento dos passivos do Auxilio Fardamento, Bolsa Formação e Bolsa Pesquisa; Parceria no enfrentamento dos vetos do ex-governador Silval Barbosa ao Estatuto da categoria; Convocação dos aprovados no concurso da PM e Corpo de Bombeiros; Melhoria das condições de trabalho; Ativação do atendimento pelo Corpo de Saúde da PM a todos os militares do Estado.

O subtenente Luciano Esteves destacou que o mais importante, neste início de gestão, é a disposição do novo secretário de dialogar de forma democrática com as associações que representam PMs e Bombeiros nas suas mais diversas demandas.

Assessoria da Assoade.
Fotos: Hegla Oleiniczak

Gerente pede escolta da PM para passeio de menores infratores

PRISCILLA VILELA
DA REDAÇÃO
154e3ebbff023052efd9a97d68ef2edb
Um oficio assinado pela gerente do Centro Regional Socioeducativo de Barra do Garças, Ivone Brunk Bittencourt, virou polêmica.

No documento, ela pede escolta da Polícia Militar para que dois menores infratores, de 16 e 17 anos, façam um passeio no Parque das Águas Quentes, no município.

O ofício é datado do último dia 20, e foi encaminhado ao tenente-coronel Paulo Roberto Costa.

Ao MidiaNews o tenente-coronel, comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar de Barra do Garças, informou que considerou o pedido de Ivone Brunk “inusitado”, mas que não irá entrar na discussão sobre a legalidade do assunto.

Ele disse que respondeu à gerente que a PM tem como prioridade atender a população.

“Nós já recebemos aqui pedido para escoltar os menores em fóruns, em hospitais, mas nunca dessa forma. Quanto ao ofício, eu já respondi, inclusive, e falei que nós contamos com efetivo policial reduzido e temos demandas superiores, como a população e que somente caso haja viatura disponível poderemos fazer esse acompanhamento”, reiterou.

Outro lado

A reportagem tentou entrar em contato com a gerente da unidade, Ivone Bittencourt, primeiramente por volta das 15 horas, no horário de Barra do Garças, mas ela estava em horário de almoço.

Mais tarde, às 16 horas no horário do município, ela estava em reunião e não retornou às ligações.

Em nota enviada pela assessoria, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) afirmou que na unidade de Barra do Garças é desenvolvido um projeto de inclusão social e promoção de saúde física para os menores infratores.

“Na Unidade Socioeducativa de Barra do Garças é desenvolvido o Projeto Mergulhando nas Aguas da Vida, propiciando aos adolescentes em regime de privação de liberdade atividades esportivas e de lazer como instrumento de inclusão social e promoção de saúde física. O projeto é desenvolvido em parceria com o Poder Judiciário, Ministério Público e Defensoria Pública do Estado de Mato Grosso”, diz trecho da nota.

A pasta também afirmou que “o artigo 94 inciso XI do Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) estabelece que em todas as Unidades de internação é obrigatório ter atividades pedagógicas bem como propiciar atividades culturais, esportivas e de lazer, desta forma buscando a socialização e inclusão social, do adolescente em cumprimento de medida socioeducativa”.

Fonte: http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=3&cid=222480
Nota do blogueiro: Se os menores são os bonzinhos da turma, não precisam de escolta. além do mais o efetivo hoje da PM é menos da metade do minimo necessário para atender a população, então em primeiro lugar o povo depois…

POSSE DOS NOVOS COMANDANTES GERAIS DA POLÍCIA MILITAR E DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE MATO GROSSO

476

Será realizada nesta quinta e sexta-feira (22 e 23 de janeiro) a posse dos novos Comandantes Gerais da PM e do Bombeiro de Mato Grosso.

Nesta quinta-feira será empossado no Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso, as 18:00 horas, o Coronel BM Julio Cezar Rodrigues. O evento que marca o inicio do Governo Pedro Taques para a instituição dos “Homens do Fogo”, será realizado no salão Cloves Vettorato no piso térreo do Palácio Paiaguás em Cuiabá (MT).

Rodrigues que ingressou na instituição no ano de 1994 é natural do Estado do Paraná e durante sua carreira já exerceu as funções de Comandante do 4° BBM em SINOP, Comandante do 1° BPM em Cuiabá, Coordenador Adjunto do CIOSP e Diretor de Segurança Contra Incêndio e Pânico do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso.

cel zaqueu

Já na Polícia Militar o novo Comandante Geral será o Coronel PM Zaqueu Barbosa e sua posse será realizada no Quartel do Comando Geral da PM, na Av. do CPA em Cuiabá (MT), no dia 23 (sexta-feira) as 19:00 horas.

O Coronel Zaqueu é Mato-Grossense e ingressou na Polícia Militar no ano 1993, tendo exercido as funções de Comandante do COE (Companhia de Operações Especiais), Coordenador do GEFRON (Grupo Especial de Fronteira), Coordenador Militar do GAECO, Secretário Adjunto de Segurança Pública e atualmente exercia a função de Sub Chefe do Estado Maior da Polícia Militar de Mato Grosso.

A Associação dos Oficiais parabeniza o Governador Pedro Taques pela indicação do Coronel Rodrigues e do Coronel Zaqueu para dirigir os destinos do Corpo de Bombeiros Militar e da Polícia Militar, respectivamente, e deseja sucesso aos dois novos Comandantes Gerais.

Data: 21/01/2015
Fonte: Diretoria de Comunicação Social

Governo promoverá ingresso de 1.350 policiais e bombeiros

10444359_905039019536723_6688840236520959140_n

Governo promoverá ingresso de 1.350 policiais e bombeiros

A sensação de segurança entre os mato-grossenses deve aumentar a partir de julho deste ano, com o ingresso de 1.350 novos policiais, entre civis e militares e bombeiros militares.

Nesta segunda-feira (26.01), 600 policiais civis, entre escrivães e investigadores aprovados em concurso, serão empossados pelo Governo do Estado, às 16h, no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá.

Governo de MT deverá empossar 600 policiais civis no próximo dia 26

970109_614817068600581_297432933_n

O governo do estado deverá empossar, no próximo dia 26, cerca de 600 policiais entre escrivães e investigadores aprovados em um concurso público da Polícia Civil de Mato Grosso, realizado em 2014. A cerimônia ocorrerá no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá, a partir das 16h. Agora, os concursados deverão iniciar curso preparatório na Academia de Polícia (Acadepol) para então se integrarem ao efetivo da Polícia Civil.

A nomeação dos novos servidores foi assinado no Palácio Paiaguás, no dia 29 de dezembro do último ano, e o ato publicado no Diário Oficial, que circulou no dia 2 de janeiro de 2015. Os 450 investigadores e 150 escrivães deverão estar no local do evento para assinatura do termo de posse. O não comparecimento do nomeado na solenidade  terá como consequência a publicação de ato tornando sem efeito a sua nomeação.

Para estar apto a tomar posse, o candidato deve submeter-se a perícia médica e entregar os documentos constantes na Instrução Normativa nº 003/2013, até o dia 23 de janeiro. O termo de posse somente será confeccionado após a entrega dos documentos necessários na Coordenadoria de Gestão de Pessoas da Polícia Judiciária Civil, no prédio da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp).

O curso de preparatório está previsto para iniciar no dia 27 de janeiro, a partir das 7h, na Acadepol, localizada na Avenida Coronel Meirelles, Bairro São João Del Rey, na capital.

Fonte: G1 MT

Paulo Taques denuncia ‘cota’ para tratar policiais feridos e coletes vencidos

O secretário-chefe da Casa Civil de Mato Grosso, advogado Paulo Taques, em entrevista nesta terça-feira (13), abriu a caixa preta da Segurança Pública de Mato Grosso e esclareceu que a situação na pasta é tão desastrosa, que caso algum policial seja ferido durante o trabalho, a corporação precisa fazer “cotinha” de R$ 50 cada para que ele possa ser atendido em uma unidade particular.

Marcos Lopes/HiperNotícias

Segundo Paulo Taques, essa denúncia aconteceu no período de transição do governo, durante visita à sede do Comando Geral da Polícia Militar. “Fizemos uma visita ao Comando Geral. Lá foi nos confirmado que já tem uma cota estipulada de R$ 50 para que o policial baleado tenha atendimento particular. Vendo situações assim eu volto a afirmar que nossa prioridade não é VLT e sim melhorias na Segurança e na Saúde. Cota para atender policial ferido é inadmissível”, afirmou o secretário.

Essa “cota”, citada por Paulo Taques, também é reflexo da má gestão do antigo governo, que deixou cair de R$ 20 milhões para R$ 5 milhões o orçamento para a Segurança. “Em 2009, antes de Silval [Barbosa, ex-governador] assumir o Palácio Paiaguás, a verba era de R$ 20 milhões só para a Segurança. Quando fomos fazer as contas, descobrimos que no ano da Copa [do Mundo], momento que o Estado mais precisava de segurança e aparato, o orçamento era de R$ 5 milhões”, revelou.

O sucateamento dos aparatos da PM para os trabalhos também foi lembrado por Paulo Taques. Segundo ele, além de coletes velhos e viaturas caindo aos pedaços, o governo de Pedro Taques (PDT) recebeu a pasta com seguros de helicópteros não pagos.

“Dos três helicópteros que a Polícia Militar de Mato Grosso tem, apenas um pode alçar voo. Os outros dois estão estacionados porque os seguros não foram pagos. Isso ninguém divulga. Os coletes balísticos estão todos vencidos e sem condições de uso. E viaturas não tem condições de uso. Correr atrás de bandido com veículos 1.0 é algo pra se dar risada”, afirmou Paulo Taques.

Atualmente a pasta da Segurança Pública é comandada pelo promotor Mauro Zaque e o comando geral da PM foi entregue ao Coronel Zaqueu Barbosa. Eles têm 100 dias para realizar o primeiro choque de gestão contra a criminalidade e depois desse prazo o governador Pedro Taques garantiu melhorias na aérea para diminuir o índice de violência.

Fonte: hiper noticias