Sancionada lei que obriga farol baixo durante o dia em rodovias.

Sancionada lei que obriga farol baixo durante o dia em rodovias Anderson Fetter/Agencia RBS

O presidente em exercício, Michel Temer, sancionou a lei que torna obrigatório o uso de farol baixo durante o dia nas rodovias. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira. A medida entra em vigor daqui a 45 dias.

A lei 13.290, de 23 de maio de 2016, determina que o “condutor manterá acesos os faróis do veículo, utilizando luz baixa, durante a noite e durante o dia nos túneis providos de iluminação pública e nas rodovias”.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, neste intervalo de 45 dias até vigorar a medida, a corporação vai orientar os motoristas durante as abordagens e “em ações educativas”. A partir de julho, os veículos flagrados com o farol desligado durante o dia serão multados.

Em caso de descumprimento, o motorista será autuado por infração média, com multa de R$ 85,13 e quatro pontos na carteira de habilitação.

O projeto de lei havia sido aprovado pelo Senado em abril. Atualmente, só é exigido o uso de farol durante a noite e em túneis, independentemente do horário do dia.

Fonte: http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/transito/noticia/2016/05/sancionada-lei-que-obriga-farol-baixo-durante-o-dia-em-rodovias-5808678.html

Anúncios

Gefron se despede do mascote Bradock.

LIDIANA CUIABANO
Assessoria/Sesp-MT

Bradock atuava como cão de guarda no batalhão do Gefron-MT (Foto: Divulgação/Sesp-MT)

Ele chegou pequenino. Com pouco mais de 30 dias de vida já despertou sentimento de carinho e cuidado de toda uma tropa. Saudável e robusto, Bradock possuía todas as características de um autêntico Pit Bull, se não fosse um diferencial: gostava de seres humanos fardados.

A paixão de Bradock foi desenvolvida quando foi adotado pelos policiais militares do Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron), em setembro de 2006. Chegou ao batalhão em Porto Esperidião, sem concurso, e se efetivou como mascote da tropa.

Segundo o comandante do Gefron à época, coronel PM Zaqueu Barbosa, Bradock chegou para trazer o lado humano dos militares, que sofrem com a carga de trabalho e estresse do dia a dia de uma fronteira muito extensa para monitorar.

“Achei interessante quando apareceram com ele na base justamente por isso, para preencher essa parte humana do policial. Ele aprendeu a conviver com os militares e todos aprenderam a amar aquele animal”, disse Zaqueu.

Como todo Pit Bull, Bradock era forte, autoconfiante, corajoso e determinado. Participava ativamente dos momentos de educação física com os policiais do Gefron.

Nadar e correr eram suas atividades preferidas. Corria até 10 quilômetros com seus parceiros do batalhão, sem pestanejar.

“Adquiriu um porte mais atlético por conta das atividades físicas que fazia junto com a tropa”, diz acreditar o cabo PM do Gefron, Josean Aparecido da Silva.

O cão era amigo e amado por todos. Em especial por Josean, com quem sempre estava por perto. “Qualquer problema de saúde eu quem cuidava. E desde pequeno ele ficava muito comigo, talvez por isso tinha esse apego maior a mim”, disse o militar.

Além de ser um fiel companheiro nas atividades físicas da tropa, Bradock também se fazia presente em todos os espaços da base, por onde circulava livremente.

A convivência era tamanha que Bradock desenvolveu um apego por pessoas fardadas. “Paisanos” não eram tão bem-vindos em seu espaço. “Quando chegava pessoa fardada no batalhão ele tratava como amigo. Os que apareciam por lá sem farda, ele demonstrava descontento”, declarou Josean.

Ao completar um ano de vida, Bradock começou a sair, como companhia, em algumas patrulhas junto aos policiais, que sempre garantiam seu lugar dentro das viaturas.

Muitos desfiles cívicos de 7 de setembro foram marcados pelo sucesso que Bradock fazia ao passar pela avenida, guiado pelos policiais do Gefron.

Doença

Há alguns meses, seu vigor não era mais o mesmo. No ano passado, o cão, já com 9 anos de idade, começou a apresentar os primeiros sinais de insuficiência renal congênita.

“Ele apresentava sangramento no canal urinário e, no check up médico, descobriu-se a doença nos rins”, disse a investigadora de Polícia Civil, Vanessa Miranda de Paula, que atua no Canil Integrado de Fronteira e acompanhou Bradock desde os primeiros sinais da doença.

Vanessa declarou que, há oito meses, o cão se alimentava de uma ração especial que era mantida por cota feita entre os policiais.

Com o passar do tempo, a ração e os medicamentos já não faziam mais os efeitos esperados, e Bradock foi se debilitando cada dia mais.

“Foi então que, por sugestão do médico veterinário e resultados dos exames, nos reunimos e decidimos pela eutanásia, para acabar com o sofrimento dele”, declarou Vanessa.

E assim aconteceu. Bradock encerrou sua história no último dia 21 de maio, mas ficou marcado na memória de todos os militares do Gefron.

“Ele fez parte da minha vida. Tenho 13 anos de polícia e por 10 anos Bradock esteve comigo. Era um amigão e parceiro de vários momentos. Não tenho palavras para descrever o tanto que eu amava o Bradock”, disse o cabo PM do Gefron, Josean Aparecido da Silva.

Virou notícia

Sites importantes de Cuiabá como G1, Olhar Direto e Folha Max noticiaram o falecimento do mascote.

A Associação Ajuda aos Animais de Cáceres também manifestou carinho por Bradock em homenagem na sua Fan Page.

Em nota, o Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron) deu adeus a um dos seus ilustres companheiros.

“Nos resta lembrar de todas as alegrias que proporcionou, seu olhar intenso e sincero! Para nós sempre foi mais que um cão de guarda, e agora que seus olhos se fecharam para sempre, fica o luto na alma de cada um de nós! Você é insubstituível!”, expressaram os policiais em nota de pesar.

Policiais do Gefron lamentam a morte de mascote.

Bradock atuava como cão de guarda no batalhão do Gefron-MT (Foto: Divulgação/Sesp-MT)

 cão farejador e “mascote” do Grupo Especial de Fronteira (Gefron), Bradock foi  sacrificado neste sábado (21), após os rins do animal paralisar devido a complicações de saúde.

Bradock acompanhou os policiais do Gefron por 10 anos. Ele atuava em operações e com seu faro ajudava a localizar drogas na faixa de fronteira do Brasil com a Bolívia. Várias apreensões de entorpecentes foram realizadas graças ao ‘faro’ do cachorro.

O Grupo de Fronteira lamentou a morte do  mascote e uma homenagem a ele foi realizada.

” Com muita tristeza todos nós que fazemos parte do Grupo Especial de Segurança de Fronteira e Canil Integrado de Fronteira. Ele nós acompanhou em diversos desfiles, treinamentos, e nos tirando da solidão, fazendo companhia a cada um de nós quando de serviço, nos dando carinho e sempre esperando alguém para alisá-lo terá que nos deixar devido seus rins terem paralisado as funções. Para nós sempre foi mais que um cão de guarda, e agora que seus olhos se fecharam para sempre fica o luto na alma de cada um de nós! Descanse em paz! Sentiremos muito a sua falta e principalmente agora será muito triste chegar ao Canilfron e não te ver!!!”, diz trecho da homenagem.

O animal ficou bastante famoso nas redes sociais após o Gefron divulgar fotos dele com óculos escuros e carregando uma arma de brinquedo em sua coleira.

 

Museus da PM e Corpo de Bombeiros mantêm viva histórias das instituições.

https://i0.wp.com/www.pm.mt.gov.br/painel/ami/noticia/160520025013_0.jpg
Uma viagem ao longo dos séculos 18, 19 e 20, em acervos com peças, equipamentos, fotografias e documentos históricos. Traduções de fatos marcantes eternizados em recortes de jornais. Registros do tempo que hoje se constituem fonte de ensinamento. Importantes fases de Mato Grosso que se entrelaçam aos momentos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros no Estado.
Na semana em que se comemora o Dia Internacional do Museu, um resgate à memória das duas maiores instituições de Segurança Pública de Mato Grosso está disponível ao público nos museus de ambas as instituições.
Nos primeiros passos dentro do museu “Cel PM RR Ubaldo Monteiro da Silva”, um canhão e metralhadoras 7 milímetros usadas na Segunda Guerra Mundial impactam os visitantes.
Ao olhar dos lados, um passeio pela evolução na comunicação entre as décadas de 1920 e 1960, de aparelhos radiocomunicadores a máquinas de escrever que datilografou os primeiros holerites da Polícia Militar no Estado.
Vitrines com armas do século 18 e 19, como pistolas de fabricação alemã, sinalizador noturno, rifle, clavina, pistola Mauser, réplica de granada, punhal e garrucha, também enchem os olhos dos que passam pelo local.
Na parte central do museu, uma exposição com fotografias de momentos marcantes de atuação da Polícia Militar, como a mobilização da tropa com destino ao município de Poconé para prender dona Laurinda Lacerda Cintra, popularmente conhecida como dona “Doninha”.
Também é possível conferir de perto a evolução histórica do fardamento da instituição desde a década de 60 e recortes de jornais com registro de importantes fases da PM.
As peças, equipamentos, fotografias, e todo material disponível, são apenas parte dos 296 anos de história da Polícia Militar em Mato Grosso.
Para o diretor do museu, tenente-coronel PM Lauro Augusto Moreira Pinto, “instituição que não tem história, não tem memória”.
“Se o museu não existisse eu, futuramente, não faria parte da história. Todos ficaríamos no esquecimento”, disse.
Moreira acredita que o espaço é importante para que a sociedade saiba o que a instituição fez e faz. “O museu está cheio de sonhos. E aqui podemos contar as histórias e sonhos. Alguns realizados e outros não”, declarou.
Bombeiros
Também valorizando a história e o fortalecimento da instituição, o museu do Corpo de Bombeiros guarda memórias de pouco mais de meio século de existência.
Rádios operacionais, guincho, extintor de incêndio, equipamentos de caminhão Auto Busca e Salvamento (ABS) e o canhão de água que ficava na viatura Auto Bomba Tanque (ABT) são algumas das peças expostas no local.
Recortes de jornais eternizando vários momentos de atuação, desde a fase do balde. Também no espaço, exposição de fotografias de viaturas, do efetivo, do primeiro treinamento de combate a incêndio e troféus de atletismo.
O museu foi inaugurado em 19 de agosto de 2009, e conta com peças operacionais e administrativas desde a implantação da instituição. O responsável pelo espaço é o tenente BM da reserva Luiz Carlos Clarentino de Souza.
Histórias que se unem
As histórias da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros em Mato Grosso estiveram entrelaçadas por um período de quase 30 anos.
O Corpo de Bombeiros foi criado dentro da estrutura da Polícia Militar de Mato Grosso em 19 de agosto de 1964, pela Lei nº 2184.
A época foi denominada Companhia Independente de Bombeiros, com efetivo de 42 militares e função exclusiva de combate a incêndio e salvamento.
A Lei nº 3.539 de 19 de junho de 1974 reorganizou a Polícia Militar de Mato Grosso, estipulando que o Comando do Corpo de Bombeiros e unidades operacionais fossem constituídos de Grupamentos de Incêndio e Subgrupamentos.
O Corpo de Bombeiros da Polícia Militar continuou a se desenvolver e, em 05 de outubro de 1988, quando ocorreu a promulgação da Constituição Federal do Brasil, ficou definido que os Corpos de Bombeiros Militares tratavam-se de unidades autônomas e desvinculadas da Polícia Militar, ou seja, entidades independentes.
No dia 28 de outubro de 1994, a corporação desvinculou-se da Polícia Militar, por meio de Lei Complementar, passando a usufruir de autonomia administrativa e financeira, subordinando-se diretamente, a época, a Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).
 
Polícia Militar
A história da Polícia Militar de Mato Grosso está intrinsecamente ligada à história de Mato Grosso, desenhando-se ao longo do tempo nos mais variados fatos e acontecimentos.
Em 08 de abril de 1719, foi escrita a ata de fundação do Arraial de Cuiabá, ocasião em que Pascoal Moreira Cabral, líder das bandeiras no local, foi eleito guarda-mor das minas recém-descobertas.
Surgem aí os primeiros sinais da necessidade de um corpo armado para controle da ordem, bem como a execução dos serviços da coroa. Em 1753, com a criação da capitania de Mato Grosso, recém desmembrada de São Paulo, Dom Antônio Rolim de Moura, 1º governador, criou e organizou a Segurança Pública na capital Vila Bela, com o nome de Companhia de Ordenanças, com efetivo de 80 homens.
Em 05 de setembro de 1835, por meio da lei nº 30, a Assembleia Legislativa provisória, sob proposta da Câmara Municipal de Cuiabá, cria o corpo policial denominado “Homens do Mato”, data esta comemorada nos dias atuais como dia de criação da Polícia Militar de Mato Grosso.
 
Funcionamento
O museu “Cel PM RR Ubaldo Monteiro da Silva” está localizado no 1º Batalhão de Polícia Militar Daniel de Queiroz, na avenida 15 de Novembro, no Porto, em Cuiabá. O horário de visitação é das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira, com agendamento para escolas.
O museu do Corpo de Bombeiros fica na sede do 1º Batalhão de Bombeiros Militar, no bairro Verdão, em Cuiabá. As visitas podem ser agendadas no Corpo de Bombeiros.
Dia Internacional do Museu
O Dia Internacional dos Museus é comemorado anualmente em 18 de maio. A data foi estipulada em 1977,com iniciativa do Conselho Internacional de Museus, um organismo que integra a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).
O objetivo é incentivar a população ao hábito de visitar e apreciar os museus, seja de arte moderna, clássica, contemporânea e outros.
Os museus são espaços culturais onde são apresentadas exposições de obras artísticas sobre os mais variados temas e estilos.
Assessoria/Sesp-MT

RGA – Deputados estaduais propõem 7,5% em maio e 3,75% em junho.

CAMILA RIBEIRO E DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

Os deputados estaduais irão apresentar ao Governo uma proposta para o pagamento da reposição inflacionária (Revisão Geral Anual) aos servidores públicos estaduais, de forma parcelada. A proposta prevê o pagamento de 7,5% na folha salarial de maio e outros 3,75% em junho, com pagamento retroativo a maio.

A sugestão é resultado de uma reunião realizada na Assembleia Legislativa, na manhã desta quinta-feira (19), entre deputados e membros do Fórum Sindical, entidade que representa o funcionalismo público.

Conforme a legislação estadual, em maio o Governo deveria dar a reposição referente à inflação do ano anterior. Portanto, os salários deveriam ser acrescidos do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de janeiro a dezembro de 2015, que foi de 11,27%.

No entanto, o Governo disse não ter condições de pagar os valores em maio e os servidores ameaçam deflagrar greve a partir do dia 24 deste mês.

A proposta apresentada pelos parlamentares será entregue ao governador Pedro Taques (PSDB), por seu líder na Casa, Wilson Santos (PSDB). Os sindicalistas irão aguardar uma resposta do Executivo até a próxima segunda-feira (23).

Fonte: http://www.midianews.com.br/politica/deputados-estaduais-propoem-75-em-maio-e-375-em-junho/263831

Cinco mil participam de movimento em defesa do RGA e sindicato quer paralisação geral na terça-feira.

Cinco mil participam de movimento em defesa do RGA e sindicato quer paralisação geral na terça-feira

Cerca de cinco mil servidores públicos participam nesta tarde, 10, de uma assembleia geral para deliberar ações após o anúncio do Governo Estadual de que não poderá arcar com o pagamento do Reajuste Geral Anual (RGA) no mês de maio para não atrasar salários. Os servidores, ainda nesta tarde, realizarão uma caminhada pelo Centro Político Administrativo (CPA). A reunião concentra-se na Praça das Bandeiras, em Cuiabá. Algumas das categorias defende para a próxima terça-feira, 17, uma paralisação geral. A estimativa de público é do Fórum Sindical, entidade que representa 24 entidades.

Em assembleia durante o ato, o Sindicato dos Servidores Públicos de Saúde e do Meio Ambiente do Estado de Mato Grosso deliberaram pelo estado de greve. “A qualquer momento os servidores podem começar uma greve histórica na saúde, disse Oscarlino Alves, o presidente do alto do trio elétrico.

Diversos sindicalistas se revezam em ponderações. A exemplo do presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso, Cledson Gonçalves,que  acusou a gestão Pedro Taques de estar ‘aliada’  ao agronegócio já que ‘eles financiaram a campanha ao governo do Estado’.

Já o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Mato Grosso (Sindispen), João Batista, citou ‘não é porque outros Estados não fizeram a lição de casa que MT não tem que fazer igual e não dar o RGA”, reclamou.

Henrique Lopes do Nascimento, que preside o Sindicato dos Servidores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep), defendeu que na próxima terça-feira, 17, uma paralisação geral.

 O Governo

“Pedimos para que os servidores públicos pensem nas futuras gerações. Não tememos a verdade. E dialogamos com todas as instâncias dos servidores”, afirmou o secretário de Planejamento Marcos Marrafon, nesta manhã.  Ele afirmou que a  folha de pagamento está superior a 50% da receitas correntes líquidas e deve recuar para menos de 49%.  O Governo aponta que  para aplicar o RGA, o que exigiria ao menos R$ 1,2 bilhão a mais do Tesouro do Estado, até dezembro.

PM 

Pelo menos trinta policiais militares acompanham o protesto,que segue pacífico pelos órgãos públicos. O destino da caminhada será o Palácio Paiaguás.

FONTE: http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?noticia=cinco-mil-participam-de-movimento-em-defesa-do-rga-e-sindicato-quer-paralisacao-geral-na-terca-feira&id=419932

Polícia Militar lança projeto “Janela para o passado – entendendo a história para chegar ao futuro”.

O projeto vislumbra que os militares estaduais desenvolvam a autocrítica

pm mt 01pm mt 02

Alessandro Gonçalves Guimarães Ferreira/DGP

A Polícia Militar, por meio da Diretoria de Gestão de Pessoas (DGP), iniciou o projeto “Janela para o passado – entendendo a história para chegar ao futuro”, que objetiva buscar aproximação aos militares estaduais (ativa e inativa) e sociedade civil, com resgate da história do passado e do presente, preservação da memória cultural da Instituição, fazendo com que estes se sintam confortáveis com o espaço da Diretoria e aprendam mais da história única da gloriosa Polícia Militar.

O projeto vislumbra que os militares estaduais desenvolvam a autocrítica, com vistas ao seu comportamento individual, principalmente quanto aos valores militares e possam sentir-se revigorados em fazer parte da instituição, com grande missão constitucional. E com isso, criar um mecanismo motivador de conduta e, também de criar sentimento de agradecimentos àqueles que vieram antes deles.

Já aos policiais da inativa, a ideia é fazer com que eles se sintam produtivos e possam mostrar toda a sua experiência adquirida, exatamente na resolução dos conflitos na sua época, traduzidos em imagens, vídeos, entrevistas e artigos.

As metodologia aplicativa do projeto predispõe a produção de vídeos institucionais; exposição na recepção da DGP de acervo histórico (fotos, imagens, fardamentos, apetrechos, equipamentos, carros e materiais bélicos) aos visitantes militares e civis pertencentes ao “Museu Cel. PM RR Ubaldo Monteiro da Silva”; publicação de artigos sobre relato do que de mais relevante foi publicado em Boletim do Comando Geral há 100 anos, como também de fatos colhidos em depoimentos de policiais da ativa e inativa que nos visitam diariamente; criação de biblioteca virtual, para facilidade de acesso aos arquivos para posteriores pesquisas, feitos por pessoas previamente autorizadas; e por fim fomentar os trabalhos e pesquisas científicas.

A duração do projeto será de um ano, a partir deste mês, estando a Diretoria aberta às visitações diariamente das 08 às 18 horas.

Nota Pública do Fórum Sindical dos Servidores Públicos do Poder Executivo de MT.

O FORUM SINDICAL dos servidores públicos do Estado de Mato Grosso vem a público repudiar a decisão tomada – no dia de hoje – pelo Governador Pedro Taques de não cumprir a reposição inflacionária (RGA / 2016) dos subsídios e proventos dos servidores públicos do Estado de Mato Grosso.

A decisão ilegal e discriminatória tomada pelo governador penaliza os servidores públicos de Mato Grosso retirando um direito constitucional e legal garantido a todos os trabalhadores da iniciativa privada ou pública.

O FÓRUM SINDICAL não admite – e também não aceita – que os servidores do Poder Executivo sejam tratados de maneira diferente que os servidores do Ministério Público, Assembleia Legislativa, Tribunal de Contas, Defensoria Pública e Poder Judiciário, que, inclusive, já conseguiram a aprovação legal e estão recebendo a reposição inflacionária deste ano.

Não é concebível que os servidores públicos responsáveis pela arrecadação e execução das políticas públicas como saúde, educação e segurança, sejam desrespeitados em seus direitos trabalhistas que a duras penas foram conquistados e que, neste momento, estão sendo ameaçados por uma decisão unilateral e prepotente.

O FÓRUM SINDICAL destaca que desde o mês de janeiro tem procurado o Governo do Estado, apresentando soluções para os problemas de receita do Estado (vide logo abaixo) e exigindo participação no Conselho de Gestão de Pessoas do Poder Executivo, entretanto o governo não adotou as sugestões, tão pouco permitiu a participação do Fórum no COGEP, como prevê a lei nº 8.278/2004.

Sugestões para melhoria da arrecadação do Estado de Mato Grosso:

Taxação das Commodities da produção primária, como por exemplo, algodão, soja, milho, entre outras;

Implantação do regime de apuração do ICMS, com recolhimento do imposto na saída do produto do estabelecimento do contribuinte;

Taxação dos Defensivos Agrícolas em geral;

Retirar incentivos fiscais concedidos indevidamente ao comércio;

Redução do duodécimo dos outros poderes do Estado de Mato Grosso, principalmente da Assembleia Legislativa e Tribunal de Contas do Estado;

Implementar ações para recuperação dos recursos desviados dos cofres públicos do Estado de Mato Grosso;

Melhorar as condições de trabalho para os servidores públicos estaduais.

ENTIDADES QUE COMPÕEM O FÓRUM SINDICAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO PODER EXECUTIVO DE MATO GROSSO

ACS PMBM – Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de MT

ADUNEMAT – Associação dos Docentes da Universidade do Estado de MT

AGGEMT – Associação dos Gestores Governamentais do Estado de MT

ASAGER – Associação dos Analistas Reguladores da AGER/MT

ASMIP – Associação dos Militares inativos e Pensionistas de MT

ASSAE – Associação dos Auditores da Auditoria Geral do Estado de MT

ASSINFRA – Associação dos Servidores da Secretaria de Infra Estrutura de MT

ASSOADE – Associação dos Sargentos, Subtenentes, Oficiais, Adm. e Esp. Ativos e Inativos da PM e BM de MT

ASSOF – Associação dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar de MT

FESSP – Federação dos Servidores Públicos do Estado de MT

SIAGESPOC – Sindicato dos Investigadores da Polícia Civil de MT

SIFISCON – Sindicato dos Fiscais de Defesa do Consumidor do Estado de MT

SINDPECO – Sindicato dos Peritos Oficiais Criminais do Estado de MT

SINDEPO – Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de MT

SINDEPOJUC – Sindicato dos Escrivães de Polícia Judiciária Civil do Estado de MT

SINDES – Sindicato dos Servidores Públicos de Carreira dos Profissionais do Desenvolvimento Econômico e Social do Estado de MT

SINDIFISCO – Sindicato dos Fiscais de Tributos de MT

SINDICON – Sindicato dos Conciliadores de Defesa do Consumidor Estaduais de MT

SINDPSS – Sindicato da Carreira dos Profissionais do Sistema Socioeducativo de MT

SINDSPEN – Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de MT

SINPAIG – Sindicato dos Profissionais da Área Meio do Poder Executivo de MT

SINPP – Sindicato dos Profissionais da Ciência da Papiloscopia do Estado de MT

SINTAP – Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de MT

SINTEMA – Sindicato dos Trabalhadores em Entidades Públicas de Meio Ambiente do Estado de MT

SINTEP – Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de MT

SINTERP – Sindicato dos Trabalhadores da Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesq. Pública de MT

SINTESMAT – Sindicato dos Trabalhadores da Educação Superior do Estado de MT

SIPROTAF – Sindicato dos Profissionais de Tributação, Arrecadação e Fiscalização do Estado de MT

SISMA – Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde e do Meio Ambiente do Estado de MT

Nota Pública do Fórum Sindical dos Servidores Públicos  do Poder Executivo de MT

Diante dessas considerações, o FÓRUM SINDICAL do funcionalismo público do Estado de Mato Grosso convoca todos os servidores públicos do Estado de Mato Grosso para ASSEMBLEIA GERAL UNIFICADA que será realizada no dia 10 de maio de 2016, às 14 horas, na Praça das Bandeiras, situada na Av. do CPA, Centro Político e Administrativo, em Cuiabá – MT.

Por fim, conclamamos todos os servidores a participarem deste importante evento de luta em defesa dos nossos direitos trabalhistas.

Fórum Sindical vai cobrar pagamento do RGA de Pedro Taques em parcela única.


 

 

 

 

Buscando uma solução para garantir o pagamento do Reajuste Geral Anual (RGA) para todos os servidores do Estado, o Fórum Sindical de Mato Grosso agendou para a próxima sexta-feira (6.5) uma reunião com o governador Pedro Taques (PSDB)  em que será debatida a questão que se constitui, atualmente, na principal demanda a unificar a ação dos sindicatos representativos de nosso Estado.

O RGA vem sendo motivo de constantes discussões entre Governo e Fórum Sindical, já que, como está previsto na Lei nº 8.278/2004, a entidade representativa dos servidores cobra que a reposição das perdas inflacionárias do ano de 2015, calculadas através da correção do Índice Nacional de Preços ao Consumidor, que chegou ao índice de  11,28%, seja feita agora em maio, mês definido como data base, em pagamento único, sem parcelamento.

O Assoade é uma das associações e sindicatos que compõem o Fórum Sindical de Mato Grosso e o seu presidente, o Subtenente PM Luciano Esteves tem participação garantida na reunião da próxima sexta-feira, marcada para ter início às 8 horas da manhã, no Palácio Paiaguás.

Assessoria da Assoade.

POLICIAL NÃO É JUIZ, NEM CARRASCO DA SOCIEDADE.


Meu desabafo de hoje, é para você, POLICIAL MILITAR, que fica postando imagens de vagabundos mortos nas redes sociais, enaltecendo a “violência policial do bem”, fingindo ser um guerreiro da paz e outras baboseiras de idiota retardado, saiba que não o considero um herói, mas sim um boçal.

Que prega um justiçamento covarde, que bate no vagabundo na ocorrência, mas mente na delegacia dizendo que ele caiu e se ralou. Nunca vai ganhar o respeito (nem o temor) dele por isso.
Por isso você não é respeitado. Porque é covarde.

Por isso muitos de nós são mortos a traição nas esquinas da vida, porque o vagabundo entende que todos nós somos covardes que nem você, que bate e esconde a mão.

Se quer ser violento com alguém, faça isso olhando nos olhos dele e aceite as consequências, quer pela justiça, quer pela vingança direcionada única e exclusivamente contra você.

É muito fácil, atrás de um teclado de computador, dizer que é o “bilhão”, que “trinca”, que “chega chegando”.
Mas a realidade é bem diferente.
A maioria de nós nunca deu um tiro, e dos que já atiraram em ocorrência, sabemos como funciona o “teatro” de operações.
Você que diz que “ladrão bom é ladrão morto”, mas divide a rua com dezenas deles e esconde a farda pra chegar e sair de casa, nem sequer os olha nos olhos, só que em grupo, fardado, massacra sua vizinhança.
Não sou conivente com a sua covardia.
Por causa de lixos como você, mais de uma centena de bons policiais saíram de casa ano passado para trabalhar, só no estado de São Paulo, e foram emboscados e mortos por criminosos, sem nem ao menos saberem o porquê disso.
Não sou seu fã.
Não o venero.
Sei que é covarde demais pra sustentar o que prega nas redes sociais quando sozinho, de folga, na sociedade, mas por causa das suas atrocidades, bons policiais morrem todos os dias.
Acredita ser um “SOLDADO UNIVERSAL” na guerra contra a “SOCIEDADE INGRATA”, mas não passa de um SERVENTE DE PEDREIRO QUE ENTROU NO EXÉRCITO PELA PORTA DOS FUNDOS.
Sua amizade não me faz falta.
Por favor me exclua de seus contatos.
Não quero conviver com pessoas como você.

*Presidente da APPMARESP